Hill critica falta de responsabilidade de Bottas em estratégia e compara com Senna

1993 Senna bandeira comemoracao 1024x585 2

O chilique de Valtteri Bottas no rádio com a Mercedes chamou a atenção de quem acompanhava o GP da França no último fim de semana. Para o ex-piloto Damon Hill, o finlandês deveria ter assumido a responsabilidade de voltar aos boxes e comparou a situação com o GP da Europa de 1993O chilique de Valtteri Bottas no rádio com a Mercedes chamou a atenção de quem acompanhava o GP da França no último fim de semana. Para o ex-piloto Damon Hill, o finlandês deveria ter assumido a responsabilidade de voltar aos boxes e comparou a situação com o GP da Europa de 1993, vencido por Ayrton Senna, vencido por Ayrton Senna

A reclamação de Valtteri Bottas com a Mercedes durante o GP da França continua rendendo no paddock da Fórmula 1. Toto Wolff, chefe da equipe, não apenas deixou passar a irritação do finlandês, mas também comemorou a reação. Damon Hill, campeão mundial em 1996, teve outra visão sobre o assunto e até usou Ayrton Senna em sua comparação.

Para o ex-piloto inglês, Bottas deveria ter chamado a responsabilidade para a realização de um segundo pit-stop na etapa francesa.

“Afinal, por que ele não entrou? O ponto é sobre responsabilidade. Se o Valterri quisesse, apenas diria ‘quero entrar, preparem os pneus’. Ele precisa assumir essa responsabilidade pelas coisas não funcionarem. A coisa sobre decisões como essa é quem assume quem dá errado e a equipe geralmente é mais preparada. Antigamente, os pilotos faziam as chamadas”, afirmou Hill ao podcast F1 Nation.

1993 Senna bandeira comemoracao 1024x585 1

Atuação de gala de Senna foi usada como exemplo por Hill (Foto: AFP)

“Ayrton Senna em Donington [em 1993] diria ‘estou entrando, quero estes pneus’ e eles pegariam porque não tinham como saber se [o piloto] estava certo ou errado, ele era a única pessoa que sabia dizer. Se o Valtteri… se os pilotos realmente sabem mais que os engenheiros, eles precisam insistir”, completou.

Durante a corrida o finlandês reclamou no rádio com a Mercedes sobre a estratégia adotada em Paul Ricard. “Por que caralhos ninguém me escuta quando eu digo que será uma corrida de duas paradas?”, bradou. Mais tarde, após o fim da corrida, Bottas disse que conversaria com a equipe, mas não temia a possibilidade de ter sido grosseiro além da conta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.