Governador da Flórida destaca liberdades individuais e proíbe ‘passaporte de vacina’

Decisão também impede que empresas exijam que os clientes forneçam qualquer documentação que comprove que o cidadão foi vacinado

O governador da Flórida, Ron DeSantis, assinou um decreto na sexta-feira 2 banindo o uso do que está sendo chamado de “passaporte de vacina”. Ele destaca que registros de vacinação são informações privadas e que esses “passaportes” reduzem a liberdade individual e prejudicam a privacidade.

A decisão também proíbe empresas no Estado de exigir que os clientes forneçam qualquer documentação que comprove que o cidadão foi vacinado contra o coronavírus. DeSantis disse que trabalha para restringir permanentemente o uso de “passaporte de vacina”.

“É totalmente inaceitável que o governo ou o setor privado imponham a você a exigência de que você mostre a prova da vacina para simplesmente participar da sociedade normal”, disse o chefe do Executivo do Estado norte-americano.

De acordo com a ordem do governador, as vacinas não são obrigatórias na Flórida e a decisão de se imunizar é informação de saúde privada.

Algo errado com esse post?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.