Genro é preso após tentar matar o sogro duas vezes no mesmo dia

Sem titulo 376

Um homem de 40 anos foi preso por tentar matar o sogro, um idoso de 73 anos, duas vezes no mesmo dia. Segundo a Polícia Civil de Goiás, além de atentar contra a vida do pai da companheira, o homem também teria pegado R$ 700 em espécie que estavam na carteira da vítima, para simular um crime de roubo.

O caso aconteceu em Itaberaí, a cerca de 100 km da capital goiana, no último dia 14. No entanto, Wene Divino da Silva foi preso temporariamente somente nessa quinta-feira (24/3).

De acordo com a corporação, no dia do crime, foram realizadas diligências preliminares quanto a um suposto roubo em uma propriedade, na zona rural do município, durante a madrugada.

A vítima, Nivaldo Vitorino de Oliveira, foi socorrida pela filha e pelo genro, agora investigado, e encaminhada ao hospital municipal da cidade e, em seguida, transferida para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage, na capital.

Veneno

Durante a investigação, a polícia teve conhecimento de que, na tarde de domingo (13/3), o genro ministrou substância tóxica na água do bebedouro e na comida que seria ingerida pelo sogro. Já durante a madrugada do dia seguinte, o homem deixou sua casa em Itaberaí e foi sozinho em sua motocicleta Honda Biz até a fazenda para verificar se a vítima estava morta.

Ao chegar no local e perceber que o sogro estava dormindo, ele pegou uma enxada, arrombou a porta da sala e golpeou o idoso na cabeça. Depois que a vítima ficou inconsciente, Wene subtraiu R$ 700 que estavam na carteira dentro do guarda-roupa e fugiu, voltando para sua casa.

Ainda no dia do crime, segundo a polícia, ao ser interrogado, o genro contou uma história não convincente. O homem confessou os crimes e disse que os praticou para beneficiar-se da herança da companheira e resolver pendências financeiras com comerciantes na região, tendo em vista ele ser suspeito de fraudes no município.

Wene é indiciado por tentativa de homicídio majorado qualificado por motivo torpe e emprego de veneno, emprego de meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima; e furto majorado pelo repouso noturno. Se condenado pelos crimes imputados, a pena poderá chegar a 60 anos de prisão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.