Galvão fica revoltado com Não expulsão na Final por Simulação

inbound3808728720936014178

O juiz tinha que ter expulsado. Mas ele foi tão bem no jogo, que o Pitana pensou ‘eu vou expulsar ele agora, nesse momento?’. Eu vi o Deyverson falando no Globo Esporte que caiu ali para dar uma paradinha no jogo, então a única coisa que o Néstor Pitana poderia fazer ali era dar o cartão vermelho por simulação. Não deve servir como exemplo. (…) Se o árbitro exercesse o direito ou a obrigação dele de dar o vermelho, terminaria em tumulto uma coisa que não precisava acontecer. (…) A atitude do Deyverson não pode ser tomada como uma atitude bacana. É engraçado, mas não é legal”, disse Galvão.

 

Na contra-mão de Galvão Bueno, o comentarista Maurício Noriega, no entanto, ‘defendeu’ a atitude do atacante palmeirense. “Eu não acho que é exemplo, mas essa aí foi light”, avaliou.

Já o narrador Milton Leite condenou a postura de Deyverson. “Sabe qual é o problema? Esse tipo de comportamento – e esse rapaz é especialista em fazer isso, no jogo contra o Atlético-MG que eu transmiti, no lance do gol do Palmeiras, ele foi fazer gesto para a torcida do Galo. Então a preocupação dele é com os outros – quando ele faz uma coisa como essa, na verdade ele está tentando trapacear, tentando jogar para o adversário uma culpa que o adversário não tem. Isso tem que ser recriminado. Ele pode ser folclórico e até bom jogador, mas ele está tendo jogar no adversário uma culpa que o adversário não tem. Isso é trapaça”.

Para Cléber Machado, o desfecho da simulação de Deyverson poderia ter sido outro se tivesse algum jogador do Flamengo envolvido. “Pode até der sido engraçado, mas porque foi com o juiz. Se fosse um jogador do Flamengo atrás dele, vira um tumulto”, opinou o narrador

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.