"Foi a gota d'água", Galiotte gera revolta interna em caso Lucas Lima e meia tem dias contados

50489445693 708a461bb6 h 1.jpg 1693159006 1
50489445693 708a461bb6 h.jpg 1693159006

A sexta-feira (18) para o torcedor do Palmeiras começou agitada já na madrugada quando Lucas Lima foi enquadrado por torcedores da Mancha Verde na rua em São Paulo ao deixar uma “balada clandestina”. A assesoria do meia alega que LL estava em restaurante, porém, segundo normas do Plano São Paulo, nenhum estabelecimento no Estado pode funcionar após as 21h, o que faz a justificativa cair por terra.

Aliás a moral do camisa 20 nunca esteve elevada dentro e fora do clube. Desde que chegou à Academia de Futebol, Lucas Lima não convenceu com suas atuações. Com um dos maiores salários do elenco de Abel Ferreira – cerca de R$ 1 milhão mensal -, o meia amarga a reserva há tempos e, em todas as conquistas pelo clube, sequer conseguiu a titularidade de maneira absoluta.

Os números são pífios. Somente 12 gols em um total de 165 jogos com a camisa alviverde. Lucas está em sua quarta temporada pelo Verdão e ainda tem 18 meses de vínculo, o que desespera a maioria da torcida. Aliás, segundo apurou o Bolavip Brasil, a paciência da direção também acabou de vez após as imagens de LL sendo cobrado por torcedores viralizar na rede.

Para a direção, a atitude do armador é inadmissível, pois ocorre em meio à pandemia de Covid-19 e uma possível contaminação põe em risco todo elenco alviverde. Além disso, há poucos dias, 3 funcionários do Palmeiras morreram em decorrência da doença, o que piora ainda mais a situação do camisa 20. “Já encheu o saco. Foi a gota d’água”, informou uma fonte à nossa reportagem.

Se havia conselheiros pressionando a suposta “omissão” do presidente Maurício Galiotte, agora o fracasso de LL dentro e fora de campo minam ainda mais sua imagem.

Há quem pressione por uma rescisão de contrato unilateral, porém, juridicamente, o clube entende que a atitude do meia ainda não justificaria tal decisão. Além disso, o Verdão correria o risco de ser processado pelo atleta e ainda pagar o valor da multa.

Por isso, uma outra alternativa é um empréstimo de Lucas Lima para aliviar a folha mensal, uma das maiores do país. A venda do camisa 20 é vista como improvável, pois não há propostas na mesa. Anteriormente, clubes da MLS e do mundo árabe fizeram sondagens ao staff do atleta, mas nenhuma oferta chegou ao clube.

Oficialmente Lucas está afastado por tempo indeterminado. O Palmeiras divulgou nota em que avisa que o atleta receberá uma multa e o caso está sendo tratado internamente pelo departamento de futebol e jurídico. Ele seguirá isolado da Academia de Futebol e será testado para Covid-19 até uma nova atitude dos dirigentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.