Flordelis vai à Globo, confessa assassinato do marido e expõe estupros do pastor com a filha: “Eu entendo”

Flordelis foi a entrevistada do Conversa com Bial desta quinta-feira (25). A deputada federal, sem papas na língua, deixou escapar alguns detalhes sobre o polêmico assassinato do pastor Anderson, no qual foi acusada de estar envolvida. No entanto, em uma de suas falas, ela entregou que a mandante do crime é Simone, sua filha.

Claro que no bate-papo com Bial, Flordelis aproveitou o espaço para se defender e negar qualquer envolvimento com a morte do falecido marido. Na entrevista, ela apontou algumas contradições do Ministério Público do Rio de Janeiro ao apontá-la como a autora do crime.

Em seu depoimento, ela explicou o por quê duas de suas filhas poderiam querer matar o pastor. Vale ressaltar que todos os seus filhos Flávio, Lucas, Simone, Marzy, Adriano, André e Carlos foram presos pelo crime, incluindo também a neta Rayane.

No entanto, Flordelis responde em liberdade por ter imunidade parlamentar, mas desde então tem usado tornozeleira eletrônica, aguardando seu julgamento.

ENVOLVIMENTO DE SIMONE

Com as novidades do caso, os holofotes foram apontados à Simone, que chegou a buscar termos como “envenenamento”, “matador de aluguel” e “veneno pra matar pessoa que seja letal e fácil de comprar”.

A filha do primeiro casamento da parlamentar chegou a afirmar que a ideia do crime partiu dela e que sua irmã Marzy ajudou a comprar a arma do crime. Em contrapartida, Marzy negou tal envolvimento.

A advogada de Simone revelou que sua cliente assumiu ser a mandante do assassinato, tendo como motivação os abusos sexuais que sofria do padrasto.

CONFIRMOU O CRIME

No entanto, a declaração não é suficiente para determiná-la como a autora do crime, segundo a acusação. Flordelis disse não saber dos tais abusos, mas acabou confirmando a versão dada pela filha, dando a entender que ela realmente foi a responsável pelo assassinato. No depoimento da parlamentar, ela deixou subentendido que entende a situação.

“Além de estar com câncer, sofrendo com câncer, ela carregava isso sozinha, em silêncio, esses assédios, esses estupros. Ela carregava sozinha, Bial. Não estou defendendo ela, porque não concordo com o que ela fez. Eu discordo 100%. Ela não podia ter feito isso, não é matando que resolvemos os problemas.”, declarou a deputada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.