Filha encontra o corpo da mãe em lote perto de sua casa

0 14

Maria do Carmo da Silva Gonçalves, de 58 anos, desapareceu no dia 8 de dezembro de 2017. Depois de quase quatro anos, a sua filha, a designer de unhas Rosiane da Silva Gonçalves, de 35 anos, pôde colocar um fim à procura. A Polícia Civil encontrou o corpo da mulher, no dia 10 de novembro deste ano, em um lote vago perto da sua residência no bairro Nossa Senhora das Graças, no município de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. As informações são do O Tempo.

O acusado de ser o autor do crime é Roberto Lopes, de 58 anos, vizinho da vítima e com quem mantinha um relacionamento amoroso em segredo, de acordo com os familiares de Maria do Carmo.

Depois de cometer o assassinato, o homem fugiu para o interior de Minas Gerais. Foi localizado, no dia 9 de novembro deste ano, na cidade de Conceição do Rio Verde, no Sul de Minas Gerais, graças às redes sociais. Ao ser preso, ele confessou o crime e informou onde tinha enterrado o corpo.

Roberto relatou à Polícia Civil que a mulher foi até a sua casa e eles começaram a discutir. Durante o atrito, Maria do Carmo teria dado um tapa no rosto dele e ao revidar, ela caiu no chão, bateu a cabeça em uma porta e morreu.

Temendo ser incriminado pela morte da mulher, ele enrolou o corpo em um cobertor, colocou em um carrinho de mão e o jogou no lote vago próximo da residência de ambos.

“Ele ainda disse que o local escolhido para jogar o corpo da mulher se tratava de uma ribanceira em que pessoas que estavam fazendo uma obra perto do local estavam jogando entulhos na área. O corpo da vítima estava enterrado a cerca de quatro metros e coberto por entulhos”, disse o delegado Otávio de Carvalho.

Para remover as ossadas, foi necessário o auxílio de uma retroescavadeira cedida pela Prefeitura de Betim e a ajuda do Corpo de Bombeiros.

“Pelas ossadas não vai dar para identificar se no corpo da mulher teriam mais lesões, e também não existem testemunhas, por isso, a versão apresentada por ele será levada em consideração”, afirmou o delegado.

Roberto Lopes responderá por homicídio e ocultação de cadáver, sua pena pode ser superior a 12 anos de reclusão.

“Encontrar o corpo da minha mãe foi um misto de sentimentos: alívio, dor e revolta, porque eu confiava no homem que matou a minha mãe. Minha mãe levava o prato de comida nas mãos dele, mas mesmo assim ele matou a minha mãe e jogou ela no lixo”, desabafou Rosiane.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.