dentro

Ex-policiais civis discutem e um mata o outro com tiro na cabeça

Uma discussão entre ex-policiais civis, que eram primos, terminou com um deles morto, na madrugada deste domingo (3), em um bar no bairro Batel, em Curitiba. Câmeras de segurança flagraram o momento em que a vítima foi atingida por tiros, inclusive na cabeça.

Segundo apurou a reportagem da Banda B, o crime aconteceu por volta das 2h da madrugada. O autor do disparo seria o policial civil aposentado Ninrod Jois Santi Duarte Valente, de 60 anos, que já foi acusado de outros homicídios. A vítima, José Augusto Mendes Paredes, de 53 anos, foi excluída da Polícia Civil sob acusações de envolvimento em crimes.

De acordo com o boletim de ocorrência sobre o crime, ao qual a Banda B teve acesso, algumas pessoas testemunharam o momento em que Valente atirou contra a vítima, também conhecida como Guto Paredes. Ainda, há a informação de que, além dos ex-policiais, havia uma terceira pessoa no bar, que teria fugido do local.

O documento também aponta que o dono do estabelecimento onde houve o crime viu o autor dos disparos e a vítima chegando juntos em um carro, que ficou no estacionamento do comércio.

Uma ambulância foi acionada para prestar atendimento médico a Paredes, mas ele não resistiu aos ferimentos e morreu antes da chegada do socorro. Já o ex-policial Ninrod Valente permaneceu no local até a chegada da polícia e foi preso em flagrante.

O perito do Instituto de Criminalística Elmir Machado afirmou que a vítima foi atingida por três tiros. “O autor deu três tiros em direção à vítima, que acertaram a cabeça, o tórax e a região das costas”, explicou.

Em entrevista à Banda B na manhã deste domingo (3), o advogado Claudio Dalledone, que representa o suspeito pelo crime, classificou o caso como “tragédia” e lamentou o ocorrido. Segundo ele, os primos são amigos dele.

“É uma tragédia. Infelizmente, mais uma vez, tendo de atender um local de morte, tendo dois amigos meus, pessoas que conheço de longa data, praticamente mais de duas décadas. O pano de fundo de motivação disso é muito grave”, iniciou a defesa.

Dalledone também disse que Valente tem enfrentado problemas de saúde e faz uso de medicamentos controlados. Ele está em tratamento psiquiátrico e luta contra um câncer, disse o advogado.

Ele acrescentou, porém, que não categoriza o caso envolvendo os dois ex-policiais como “crime”: “Foi uma morte. O que se tem ali das câmeras indicam que Guto Paredes estava cobrando satisfações de Valente, que já é um idoso com várias mazelas e está judiado psicológica, psiquiátrica e fisicamente”.

“Realmente, o que me preocupa não é só essa tragédia que assola a família de ambos. Temos que observar com mais cuidado a saúde mental de todos os policiais. O pano de fundo que envolve essa morte é muito drástico, é isso que posso antecipar.”

Valente, preso em flagrante, foi encaminhado à Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, onde permanece preso. Agora, ele deve ser ouvido por um juiz em audiência de custódia.

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.