dentro

Estudos comprovam benefícios do consumo de chocolate pelos idosos

Não foram poucos os que acordaram hoje mais preocupados em razão dos excessos cometidos na Páscoa, então resolvemos ajudar a aliviar o sentimento de culpa. Se é certo que o consumo excessivo de açúcar e outros carboidratos pelos idosos pode atrapalhar na alterar a absorção de cálcio predispor ao diabetes ou trazer descompensações no seu controle metabólico e até termos já, o conhecimento, que a hiperglicemia (excesso de glicose) pode ser fator de risco para o desenvolvimento de Doença de Alzheirmer e à obesidade e suas complicações, além de elevar o riso de Acidente Vascular Cerebral (AVC), não podemos deixar de mencionar que o chocolate também pode ser um importante aliado no processo de envelhecimento.

Estudos comprovam que o chocolate proporciona uma melhora na memória e no raciocínio dos idosos, já que seu consumo age diretamente no cérebro, fortalecendo os neurônios, o que facilita o fluxo sanguíneo cerebral e ativa o sistema cognitivo, muitas vezes, comprometido nos idosos. A Universidade de Colúmbia publicou no The New England Journal of Medicine, uma das publicações científicas mais renomadas do mundo, que o consumo do chocolate melhora as funções cognitivas não apenas de indivíduos, mas de populações inteiras. A presença de Triptofano na composição de chocolate, além de outros antioxidantes tem propriedades muito benéficas aos seus consumidores.

O estudo anteriormente citado partiu do pressuposto de que o número de prêmio Nobel per capita deveria se refletir na proporção de habitantes com funções cognitivas elevadas. Assim, os pesquisadores compararam o consumo nacional de chocolate com a proporção de pessoas que receberam o Prêmio Nobel. Vinte e três países foram pesquisados e o resultado, surpreendentemente, demonstrou que há uma relação entre o consumo per capita de chocolate e o número de ganhadores, na proporção de 10 milhões de habitantes, o que, segundo os estudiosos, demonstraria que, quanto maior é o consumo de chocolate de um país, maior é o número de ganhadores de prêmio Nobel. De acordo com os pesquisadores é preciso um consumo de 2 quilos de chocolate por ano para se ter um novo Prêmio Nobel o que, obviamente, não é o único requisito necessário para ser laureado com tão alta comenda.

Uma outra pesquisa, essa publicada pela respeitadíssima revista científica American Heart Association, concluiu que idosos maiores de 70 anos podem ser beneficiados com o consumo diário de uma porção de 30 gramas de chocolate com alto teor de cacau, principalmente objetivando evitar doenças como o Alzheimer e a Demência. Tal fato se explica pela quantidade de antioxidantes contidos no cacau.

Os estudos demonstraram, ainda, que os flavonoides, encontrados em maior quantidade nos chocolates amargos, podem trazer benefícios para a saúde cardiovascular dos idosos. Isto acontece porque há uma melhora no fluxo arterial, com a diminuição adesividade das plaquetas, que podem levar à obstrução dos vasos sanguíneos, diminuindo, inclusive, os níveis de LDL, o chamado colesterol ruim. Esta conjuntura de processos bioquímicos, associados com redução de outros fatores de risco cardiovascular reduzem o a chance de eventos tromboembólicos.

Os pesquisadores também concluíram que os flavonoides auxiliam na diminuição do processo inflamatório do corpo; e até mesmo que pode haver uma ligação, ainda não completamente esclarecida, de seu uso com a proteção contra o câncer. Nestes campos, muito há que ser pesquisado, porém a grande maioria do conhecimento advindo do consumo deste delicioso alimento pesa em seu benefício.

Ainda sobre as vantagens do uso do chocolate, a Universidade do Noroeste de Chicago, apresentou um estudo no qual concluiu que o hábito de tomar chocolate quente pode auxiliar para que pessoas acima dos 60 anos diminuam as chances de desenvolver alguma debilidade motora. Segundo os pesquisadores, isto ocorre porque o uso do chocolate auxilia na circulação do sangue e promove melhora da motricidade.

Não bastasse, em tempos nos quais o mau humor anda imperando, o chocolate ainda pode auxiliar na manutenção do bom humor. Isto acontece porque seu uso libera serotonina, chamado popularmente de hormônio da felicidade, pois ocasiona uma sensação de bem-estar e alegria.

Mas para você que se animou e já se preparava para pegar sua barrinha de chocolate, é preciso ficar atento, pois não é qualquer tipo de chocolate que traz os benefícios elencados. Devemos deixar de lado os ao leite e os brancos, dando preferência aos amargos, que tenham, no mínimo, 50% de massa de cacau em sua receita, mas, principalmente, para aqueles que tenham teor de cacau superior a 70% e, claro, é preciso atenção à quantidade, que não deve passar de 30 gramas.

Concluímos que você, que está tão arrasado de sua libação e abuso do chocolate ocorridos nesta pascoa e em outras situações podem trazer um pouquinho de ganho de peso, porém a manutenção de um ritual tão enriquecedor na troca de ovos entre os familiares e amigos, os ganhos energéticos e nutricionais do chocolates, aliado com o imenso prazer que ele proporciona pode trazer um pequeno alento às nossas consciências.

Doravante, fazer um pouco de dieta, muita atividade física e esperemos a próxima Páscoa para nos deleitarmos com este alimento tão delicioso.

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.