dentro

Esposa de personal pega fazendo sᕮxo no carro com mendigo recebe alta de hospital psiquiátrico

A mulher que se envolveu com o ex-morador de rua Givaldo de Souza, 48 anos, recebeu alta da ala psiquiátrica do Hospital Universitário de Brasília (HUB), onde estava internada desde o ocorrido. Ela deixou o local em 6 de abril. A mulher manteve relação sᕮxual dentro de um veículo, em Planaltina, com Givaldo.

Um laudo médico divulgado seis dias após o episódio, ocorrido em 9 de março, mostrou que a comerciante estava em surto psicótico. Ao flagrar a cena, o marido da mulher, que é personal trainer, espancou o sem-teto. O educador físico disse que atacou o homem porque pensou se tratar de um estupro.

Segundo a mulher, ela e o morador de rua começaram a trocar carinhos em via pública. O resultado, como relatado no áudio, foi um beijo entre os dois, na frente da sogra da moça, situação que deixou a mãe do personal em choque. “É o meu propósito, deixa eu receber o meu propósito”, disse a mulher para a sogra

A mulher que se envolveu com o ex-morador de rua Givaldo de Souza, 48 anos, recebeu alta da ala psiquiátrica do Hospital Universitário de Brasília (HUB), onde estava internada desde o ocorrido. Ela deixou o local em 6 de abril. A mulher manteve relação sᕮxual dentro de um veículo, em Planaltina, com Givaldo.

Um laudo médico divulgado seis dias após o episódio, ocorrido em 9 de março, mostrou que a comerciante estava em surto psicótico. Ao flagrar a cena, o marido da mulher, que é personal trainer, espancou o sem-teto. O educador físico disse que atacou o homem porque pensou se tratar de um estupro.

Segundo ele, a esposa estaria em surto psicótico e, assim, não teria havido relação extraconjungal consensual, e sim violência sᕮxual. “Não se trata de uma traição conjugal, e, sim, crime de violência”, disse, em nota enviada ao Metrópoles, após a publicação da reportagem.

Depois da confusão na rua, todos foram conduzidos à 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina). O caso ainda é investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

A reportagem do site Metrópoles conversou com Givaldo. A entrevista completa durou cerca de uma hora, mas a versão editada e que foi ao ar tem 40 minutos. Isso porque o portal decidiu ocultar falas em que o sem-teto usa termos obscenos e explícitos para se referir à mulher do personal trainer.

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.