Endometriose: da dor ao amor!

20211124234902771616o

Você mulher, que ao longo da vida vem sentindo sintomas muito frequentes que lhe causam tantos transtornos, não só a você, mas a todos que consigo convivem, existe, não somente a esperança de se libertar de tanto sofrimento, mas encontrar tratamentos adequados que lhe promoverão a cura desta doença tão frequente, que é a endometriose.

No conceito médico universal, a “Endometriose é a presença de Endométrio, glândula ou estroma (epitélio que reveste a cavidade interna uterina), fora do Útero”, sendo uma doença enigmática que afeta 1 em cada 10 mulheres durante o menacme (anos menstruais), computada à mulher moderna, apesar de já citada milhares de anos A.C., com ênfase especial a Hipócrates, Pai da Medicina, 430 anos A.C., mas com alto índice de acometimento atual em virtude de uma vida atribulada e comprometida com diversos fatores que as conquistas femininas passaram a exigir dessas mulheres tão especiais, que são as suas portadoras.
Para melhor compreensão, importante saber que o Endométrio tem a finalidade de receber e nutrir o embrião, promovendo o desenvolvimento normal do feto e quando não ocorre fecundação, na ausência de gravidez é eliminado como menstruação, sendo renovado ciclicamente a cada mês, visando sempre a finalidade precípua a ele destinada, para renovação da vida.

Considerada “Uma desordem genética, poligênica e multifatorial”, não é mais uma doença local e sim uma doença sistêmica que pode acometer múltiplos órgãos e sistemas com consequências que extrapolam a visão de um problema não somente ginecológico, mas também multi e interdisciplinar.
A paciente pode apresentar os mais diversos tipos de dor e sintomas ao longo da vida, como cólicas menstruais invalidantes, sangramentos uterinos anormais, transtornos sexuais (dor na relação), dor pélvica crônica e aguda, síndromes somáticas (fibromialgia, fadiga crônica, intestino irritável, bexiga dolorosa), infecções, problemas intestinais (constipação, dor evacuar, …) e infertilidade.

Como se não bastasse, são submetidas a cirurgias mutiladoras, complicações obstétricas, tratamentos caros e onerosos de Reprodução Assistida que desencadeiam ou agravam transtornos psicoemocionais.
Durante o 6th WEC-Quebec-Canadá, 1998 (6°Congresso Mundial de Endometriose), primeiro evento mundial em que pai e filho estiveram juntos, fomos co-fundadores da primeira Sociedade Mundial de Endometriose (World Endometriosis Society).
Nesta mesma época criamos o primeiro Centro de Endometriose do Brasil, o CENDO, com objetivo de aliviar a dor das pacientes portadoras da endometriose e buscar a cura, na qual acreditamos, embora hoje ainda questionada.
Com mais de 50 anos dedicados ao estudo, pesquisa e tratamento da Endometriose, Dr Jorge Safe criou o Perfil Psicológico próprio das Portadoras de Endometriose, no qual mostra que as portadoras são mulheres perfeccionistas, personalistas, ansiosas, mas acima de tudo especiais, de grande fortaleza e sensíveis.
As portadoras de Endometriose podem ser assintomáticas e não desenvolverem a doença e terem uma vida normal, apesar de apresentarem uma tendência, o que chamamos de Epifenômeno. Epifenômeno (do grego, Epi = sobre, acima e Fenômeno, uma ocorrência natural; neste caso proveniente da menstruação através do fluxo retrógado).
Infelizmente, algumas mulheres acabam desenvolvendo a doença. Na busca pela cura desta doença, precisamos no dia-a-dia fazer um diagnóstico correto e instituir uma terapêutica adequada, buscando a Cura Física, estendendo à Cura da Alma ,através de orientações de vida para tal.
Para se fazer o diagnóstico amplo e adequado, é necessário conhecer e destacar múltiplos fatores da doença, como a Herança Genética, aliada a outros fatores determinantes, como o Familiar (maior incidência entre parentes de 1° grau, mãe e irmãs), o Biológico (Menarca que é a idade da primeira menstruação, fluxo e irregularidade menstrual) e o Sociocultural (ligado à educação, influência da presença dos pais através de exemplos, desejos transferidos e expectativas em relação à filha), importantes na Gênese, Desenvolvimento e Gravidade da doença.

Para que sejam conhecidos tais fatores, é necessária uma consulta médica especializada que, através de uma anamnese completa com perguntas e respostas entre o médico e a paciente e um exame físico adequado, irá permitir o diagnóstico clínico com grande segurança, ficando os exames complementares, como diz o próprio nome, para completar e auxiliar na conduta médica.
O tratamento deve ser individualizado para cada portadora, tomando muito cuidado para que o mesmo não leve a paciente a quadros de depressões e ansiedades, estas últimas já existentes previamente no dia-a-dia das portadoras, sob três manifestações diferentes: hiperansiedades, sofrimento antes de fazer as coisas e querer fazer tudo rápido, perfeito sem delegar a ninguém.
A busca do equilíbrio entre o corpo e a mente se faz fundamental. Como Hippocratis dizia, a mais de 400 anos antes de Cristo, “Na arte da medicina não temos como separar o doente do médico e da doença. Para isso precisamos deixar o passado, diagnosticar o presente e profetizar o futuro”.
Desta forma, precisamos saber indicar e realizar uma cirurgia minimamente invasiva, nem muito precoce e nem muito tardia, sendo radical apenas para com a Endometriose.
Neste contexto, ainda é importante saber definir o melhor tratamento medicamentoso associado: seja de primeira linha (sem cirurgia) ou segunda linha (após cirurgia), sempre estimulando medidas de proteção contra o desenvolvimento da doença (uso especial de contracepção, estímulo ao parto normal, aleitamento materno …)
As pacientes precisam acreditar, como nós acreditamos, em uma nova vida, com os filhos desejados, realização profissional e sᕮxual, qualidade de vida, podendo até mesmo fazer TRH (Terapia de reposição hormonal), se indicado, transformando o sofrimento (DOR) em felicidade plena de viver (AMOR)!

Teste realizado por 2 geraçõe de especialistas em endometriose
O Dr Jorge Safe, dedica-se há varias décadas ao estudo, pesquisa e tratamento da Endometriose, tendo sido pioneiro na abordagem da doença por microcirurgia, sempre com uma atenção especial em individualizar cada caso e tratar de forma humanitária a Endometriose dessas mulheres tão especiais! Autor do “PERFIL PSICOLÓGICO DAS PORTADORAS DE ENDOMETRIOSE”, autor do livro dedicado à vida feminina: “CHEIRO DE MULHER”, Membro titular da ACADEMIA MINEIRA DE MEDICINA entre outras várias atividades.

Leave a Reply
  1. Tudo muito lindo, mas na prática, para quem é assistido pelo atendimento médico do SUS a tão sonhada cirurgia jamais acontece. Nos receita hormônios e mais hormônios que acabam fazendo mais mal que bem e tudo fica por isso mesmo. Apesar de todos meus exames indicarem a existência de endometriose ( dentre outros) jamais consegui um encaminhamento para cirurgia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.