Em meio à pandemia, governo do Pará investe R$ 150 milhões em reforma de Estádio

Design sem nome 37 990x557 1

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB-PA), vai investir aproximadamente R$ 150 milhões na reforma do Estádio do Mangueirão. A ordem de serviço para a obra foi assinada em 26 de fevereiro deste ano.

De acordo com os dados do próprio governo estadual, o orçamento previsto é de R$ 146.983.028,29. A capacidade de público também será ampliada para mais de 50 mil pessoas.

O chefe do executivo estadual inclusive já viajou ao Rio de Janeiro para uma reunião com membros da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), e manifestou o interesse de promover uma partida de futebol da seleção brasileira em 2022, na reinauguração do Estádio.

As obras foram anunciadas em meio à pandemia do vírus chinês e ocorrem enquanto o governador Barbalho é alvo de escândalos por possíveis irregularidades na gestão da crise sanitária.

Como noticiou o Terça Livre, Helder Barbalho foi alvo da Operação Para Bellum, da Polícia Federal, que apura fraudes na compra de respiradores pelo governo do Pará mediante dispensa de licitação.

A compra dos respiradores custou ao estado do Pará o valor de R$ 50.4 milhões. Desse total, metade do pagamento foi feito à empresa fornecedora dos equipamentos de forma antecipada, sendo que os respiradores, além de sofrerem grande atraso na entrega, eram de modelo diferente do contratado e inservíveis para o tratamento da Covid-19. Os aparelhos acabaram sendo devolvidos.

O Ministério Público do Pará (MPPA) já pediu o afastamento do governador por improbidade administrativa e a Justiça determinou na semana passada o bloqueio de bens que estão em nome de Helder Barbalho.

Neste domingo (18) o governo foi alvo de mais uma polêmica: dezenove respiradores foram encontrados no Hospital Abelardo Santos, em Belém, escondidos dentro de uma parede falsa.

Em entrevista ao Boletim da Manhã desta segunda-feira (19), David Mafra, paraense que por meio das redes sociais fez com que o caso dos respiradores escondidos ganhasse repercussão, falou sobre a reforma no estádio.

“Em plena pandemia, com pessoas morrendo, gente sem estrutura mínima para viver, o estado carente de quase tudo, o governador está investindo na reforma do estádio”, diz. “Para se ter uma ideia, temos a cidade de Ananindeua, perto de Belém, que tem apenas 2% de uma população de mais de 500 mil habitantes com acesso a esgoto. É segunda maior cidade do estado do Pará e apenas 2% da população têm acesso ao esgoto”, acrescentou Mafra.

O Terça Livre questionou o Governo do Pará sobre as obras e aguarda resposta.

Respiradores escondidos

O caso envolvendo 19 respiradores escondidos em hospital do Pará ganhou repercussão neste domingo (19). A denúncia foi originalmente publicada em março pelo jornalista independente Olavo Dutra, que é de Belém, mas não repercutiu na imprensa.

“No Pará há muitos casos assim [que não repercutem de forma nacional], se vocês derem uma passada no meu perfil, verão cada caso escandaloso, irão se escandalizar muito mais até do que por esse caso dos respiradores, mas, enfim, não temos holofotes. Essa região Norte é esquecida pelo resto do Brasil”, lamentou David Mafra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.