Dudu brinca e diz que queria jogar contra o Sport

inbound1473228503460621770

Dudu reapresentou-se e voltou a treinar na Academia de Futebol ontem, dia 1, após encerrar oficialmente seu contrato de empréstimo com o Al-Duhail, do Catar. Nesta sexta-feira (2), o ídolo do Verdão concedeu entrevista coletiva a sócios do programa Avanti e respondeu algumas perguntas sobre o seu retorno ao clube.

LEIA TAMBÉM: [ANÁLISE] Em que posição Abel irá escalar Dudu?

Durante a conversa, o jogador foi informado de que o Palmeiras conseguiu, junto à FIFA, uma liberação imediata para sua reestreia, tal qual para o zagueiro Pedrão.

Apesar de já estarem trabalhando nas instalações do clube, os dois só poderiam ser inscritos no mês de agosto, na reabertura da janela internacional. Entretanto, nesta manhã, o departamento jurídico do Verdão conseguiu reverter essa situação fazendo com que eles estejam à disposição de Abel.

O atacante vibrou com a notícia, agradeceu o esforço da diretoria e brincou que pediria ao treinador português para já ser escalado neste domingo (4) na partida contra o Sport.

– Ótima notícia! Fico feliz demais. Estou achando até que vou até perguntar para o Abel se não posso ir para o jogo domingo (risos). Eu estou bem, estava treinando nas férias. Mas a gente sabe que ainda tem uns dias para fazer a preparação física. Agradeço o Palmeiras por esse esforço. A gente sabe do empenho que o clube tem. São pessoas que dão a vida pelo Palmeiras. Espero possa estar o mais rápido em campo para ajudar o time – afirmou.

Com 28 jogos no Al-Duhail, Dudu marcou 15 gols e deu 13 assistências durante sua passagem de menos de um ano no clube catari. Ele comentou sobre suas pretensões enquanto seu futuro estava incerto e também sobre a sensação de estar de volta a “sua casa”.

– Tinha a possibilidade de ficar lá, mas é como eu falei: eu volto para a minha casa. Volto para onde estou feliz e tenho carinho dos torcedores. Espero que o carinho cresça para, quando eu me aposentar, eu permaneça na memória dos palmeirenses. Todo jogador quando chega quer fazer história no clube. Eu acho que ainda estou em construção dessa história. Teve uma pausa de um ano, mas espero que, nessa volta, possa ser tão feliz quanto fui na primeira passagem. Não tenham dúvida do quanto eu gosto de vestir essa camisa e estar no Allianz jogando.

Vanderlei Luxemburgo era o técnico do Palmeiras antes do atacante se despedir do clube na temporada passada. Meses depois, Abel Ferreira foi anunciado como substituto e, em pouco tempo, conquistou o coração da torcida alviverde. O ídolo do Verdão revelou suas expectativas em trabalhar com o treinador e elogiou o comandante.

– O Abel é um grande treinador e sabe como funciona um clube grande. O que faz um treinador ficar em um clube desse tamanho são os resultados que ele entrega e ele tem entregado. Espero que ele consiga ficar bastante tempo aqui para a torcida poder ver o Palmeiras com Abel e Dudu no Allianz. Ainda não tive o primeiro contato, porque estava na parte física, mas espero que nos próximos dias possamos conversar. Tenho certeza que ele sabe onde eu gosto de jogar e também sei que ele vai conseguir montar o melhor time para o Palmeiras – declarou.

Confira os demais trechos da entrevista de Dudu.

Motivação em seu retorno

– Quando a gente dá a palavra, tem que cumprir. Quando saí um ano atrás, falei que iria voltar. Voltei quando o presidente atendeu um pedido particular meu. Agora espero que nós possamos ter um ano de conquistas de novo. A motivação é sempre por essa camisa do Palmeiras. Ficamos motivados a jogar, a ganhar, a treinar. Estou sempre motivado a partir do momento que entro no CT.

Em qual posição pode jogar com Abel?

– No Palmeiras, sempre temos que ter uma responsabilidade muito grande. Na minha primeira passagem sempre busquei me doar o máximo possível. Os treinadores sempre contaram comigo em várias posições diferentes e, com o Abel, não vai ser diferente. Ele pode contar comigo onde precisar. Vou sempre procurar fazer o melhor para o grupo.

Gol de Breno e título da Libertadores

– Fiquei muito feliz pelo Palmeiras. A gente sabia que era um campeonato que o grupo e a torcida queriam muito. Sobre o gol do Breno, fiquei muito feliz também. Era um menino que até pouco tempo estava jogando em um time menor e, de repente, ele entra num jogo desses e faz o gol. Tive um primeiro contato com ele e é um cara muito do bem. Bom saber pessoas vem ao Palmeiras ajudar o clube a conquistar um título tão importante.

Se considera ídolo?

– Me considero um jogador importante na história do Palmeiras, mas acho que ainda falta um pouquinho para chegar nesse status de ídolo. Espero que nessa segunda passagem possa confirmar isso. Espero continuar honrando essa camisa, fazendo um grande trabalho para os palmeirense continuarem gostando de mim e cultivando essa idolatria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.