Diretor de futebol do Palmeiras explica porque não contratou

inbound4890229657079277018

O diretor de futebol do Palmeiras, Anderson Barros, concedeu entrevista ao programa Seleção SporTV nesta terça-feira (01) e comentou sobre as principais pautas do Palmeiras no momento. Ele esclareceu a situação de Abel Ferreira no clube, explicou a atuação do Alviverde no mercado da bola e, por fim, ponderou sobre os impactos da Copa América no calendário do futebol brasileiro.

Abel Ferreira

De início, o dirigente faz questão de afastar qualquer ideia de racha entre a diretoria do clube e o atual técnico do Verdão. Apesar de ter citado a existência de discordâncias, ele ressaltou que todas elas são conversadas e compreendidas igualmente pelas partes.

– O Abel busca intensamente a possibilidade de estar vencendo. A discussão com ele em todos os níveis ocorre diariamente. O Abel é extremamente qualificado, capaz, aliado com tudo que temos feito. A diferença é que as discussões vão sempre estar acontecendo, como sobre as contratações que ele pede para reforçar a equipe. Algumas decisões que nós, da diretoria, tomamos neste início de ano sempre vão levar a discussões. Porém, todas as decisões estão alinhadas com o Abel e dentro do planejado para a temporada – iniciou.

– O Abel nunca foi demitido, seja em Portugal ou na Grécia. Incomodam a ele as decisões intempestivas que o futebol oferece. No Palmeiras, é um trabalho alinhado. Recentemente, o Abel pediu contratações para algumas posições e não conseguimos atendê-lo. O Palmeiras entendeu que precisa priorizar o equilíbrio financeiro. Mas isso é tudo muito claro entre nós e o Abel internamente. Há a necessidade de se organizar financeiramente e temos tido sucesso, visto que desde o ano passado chegamos a todas as finais – completou, justificando a postura mais conservadora no mercado.

Além disso, Anderson Barros opinou sobre uma possível decisão de deixar o clube por parte de Abel ou até mesmo uma opção interna de demissão. No último domingo, antes do duelo contra o Flamengo, uma declaração do português sobre a cultura do futebol brasileiro de despedir técnicos com pouco tempo de trabalho repercutiu entre os torcedores e chegou a ser tema de sua coletiva pós-jogo.

– Acredito que vamos terminar o processo que iniciamos. Os processos têm começo, meio e fim e Abel vai estar conosco durante todo o caminho. Não tenho receios de que ele irá nos deixar nesta temporada, ainda são muitos desafios a enfrentar e, apesar das dificuldades, temos condições de disputar e vencer todas as competições. Acredito que, apesar dos problemas, o Abel esteja conosco em todo este processo – afirmou Anderson Barros.

Um dos principais motivos de críticas de parte da torcida alviverde ao diretor é a pequena quantidade de reforços trazidos em sua gestão. A explicação passa, principalmente, pela mudança de postura do clube, que, desde 2020, passou a priorizar o equilíbrio nas contas em detrimento das contratações.

Perguntado sobre este tópico, o diretor ponderou sobre o cenário delicado que o mundo passa em razão da pandemia e ressaltou a necessidade de uma atenção rigorosa com a situação financeira do Palmeiras para dar sequência ao projeto, que segundo ele, mantém o time com qualidade.

– Desde o ano passado, o Palmeiras mudou a característica no mercado. Há a analise do mercado, não abrimos mão de todo o processo para fazer a contratação, então fizemos cinco contratações em 2020 e neste ano só fizemos uma. Há a identificação das necessidades e precisamos entender com o departamento financeiro as nossas condições. Precisamos ser extremamente rigorosos neste aspecto.

– Vivemos um momento de crise, de pandemia. Com isso, a gente acaba tendo um confronto de posições que fazem parte do processo. Até com o Abel, mas ele deixa claro que está satisfeito com a entrega dos que já estão no clube. Acredito que estejamos conseguindo, pois o Palmeiras tem disputado todas as competições, estamos mantendo a qualidade apesar de buscar o equilíbrio financeiro – finalizou.

Copa América

Por fim, Anderson Barros posicionou-se em relação à realização da Copa América no Brasil, que foi confirmada pela Conmebol na segunda (31) e tem início no dia 13 deste mês. Além de desfalcar as equipes, o torneio pode inviabilizar a ocorrência de partidas em estádios de alguns times brasileiros.

– Um clube nunca pode ser penalizado pela competência de seu trabalho. Quando o Palmeiras se posiciona em relação à ausência dos atletas devido às convocações, é porque já vínhamos há muitos anos debatendo. Os jogos da Seleção não podem prejudicar uma equipe que se organiza. A posição do Palmeiras é clara em relação à isonomia das competições, e o Palmeiras entende que não pode ser prejudicado com desfalques – apontou.

Já desfalcado pelas Eliminatórias e pelos Jogos Olímpicos, o Palmeiras deve perder titulares por mais tempo em rodadas do Brasileirão e algumas fases da Copa do Brasil caso o calendário não seja alterado. O Alviverde volta a campo nesta quinta-feira (03) às 21h30 (horário oficial de Brasília) contra o CRB pela estreia na copa nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.