Deputada do PSOL critica polícia por matar Lázaro sem ‘ouvi-lo’

Design sem nome 2021

A deputada federal Vivi Reis (PSOL-PA) criticou a ação da Polícia de Goiás de matar Lázaro Barbosa sem antes ouvir o que ele tinha para dizer. Lázaro foi morto na manhã de segunda-feira (28) após confrontar a polícia.

“Lázaro foi preso e morto. A perseguição do criminoso deixou um lastro de ódio, intolerância religiosa e abusos. A celebração de sua morte é retrato da espetacularização dessa caçada de vinte dias e dezenove milhões de reais. Quando o capturam, ao invés de ouvi-lo, o executam. Vexame”, escreveu a deputada do PSOL.

Com a repercussão negativa da publicação e acusações de que estaria defendendo o assassino, a deputada voltou às redes sociais para, segundo ela, explicar melhor sua opinião.

“Já que o último tweet abriu margem para interpretações equivocadas, vou explicar melhor. Lázaro causou dor em muitas famílias. Minha solidariedade a todas elas! Porém, somente o interrogando saberíamos se ele estava a mando de outras pessoas, evitando que mais gente siga impune”, tentou argumentar a parlamentar no Twitter.

Lázaro Barbosa era acusado de diversos crimes bárbaros, dentre eles o assassinato de cinco pessoas, sendo quatro da mesma família.

O analista político Italo Lorenzon apontou durante o Boletim da Manhã de terça-feira (29) a incoerência no argumento da parlamentar do PSOL.

“Mataram Lázaro ‘sem ouvi-lo’, então está implícito que, se fosse ouvido, poderiam matá-lo? Bom, é uma deputada do PSOL”, lembrou o analista, ressaltando que o PSOL e seus envolvidos se encontram “absolutamente fora da realidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.