Delegada negra é impedida de entrar em loja de shopping

Sem titulo 333

Policiais civis do Ceará cumpriram mandado de busca e apreensão em uma loja de roupas de um shopping de Fortaleza após a delegada Ana Paula Barroso ser impedida de entrar no local. O impedimento foi alegado como “medida de segurança”. A delegada, que é negra, denunciou a atitude considerada racista.

Os agentes foram à loja Zara para apreender equipamentos de registros de imagens, já que o local negou, em um primeiro momento, disponibilizar os vídeos. O caso foi denunciado e investigado como suspeita de racismo.

Em nota, a loja afirmou que a abordagem não foi motivada por “questão racial”, mas por protocolos de saúde e que as imagens ajudarão a esclarecer a situação. Ana Paula Barroso é diretora-adjunta do Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV) da Polícia Civil cearense.

Mesmo podendo dar voz de prisão por conta da suspeita da atitude racista, a situação deixou a delegada em estado de choque. Ana Paula tomava sorvete e estava com uma sacola de outro estabelecimento quando entrou na loja. A Zara afirma que Ana Paula estava sem máscara e, por isso, foi impedida.

ASSISTA A REPORTAGEM ABAIXO:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.