Corpos de mãe e filhas que morreram abraçadas em acidente com 12 vítimas são enterrados.

whatsappimage20211001at14.38.10

Ana Aline dos Santos tinha 25 anos, e as filhas, Safira e Samiry Nascimento, tinham 10 e um ano e cinco meses, respectivamente. Enterro aconteceu no município de Santa Cruz da Vitória, no sul do estado.

Os corpos de Ana Aline dos Santos, de 25 anos, e das filhas dela, Safira Nascimento, de 10 anos, e Samiry Nascimento, de 1 ano e cinco meses, foram enterrados na manhã desta sexta-feira (1°), na cidade de Santa Cruz da Vitória, no sul da Bahia. As três morreram abraçadas no acidente envolvendo um ônibus, uma van e um caminhão bitrem que carregava eucalipto, na BR-101, que terminou com mais nove vítimas.

O enterro, que aconteceu por volta das 10h30, contou com movimentação intensa de familiares e amigos e foi marcado por forte comoção. As três vítimas moravam em Ibicaraí, cidade que fica na mesma região do estado, mas tinham parentes em Santa Cruz da Vitória.

Na quinta-feira (30), na cidade de Camacan, o corpo do motorista do ônibus, Leandro Assunção Oliveira, de 40 anos, foi enterrado por familiares, amigos e colegas de trabalho.

No final da manhã desta sexta, o motorista de caminhão envolvido na batida, se apresentou à polícia.

Na quinta-feira (30), um dos advogados dele informou que o condutor fugiu sem prestar socorro às vítimas porque ficou com medo de ser linchado pelas testemunhas e sobreviventes. O advogado detalhou que o local estava sem sinal de celular.

O caso é investigado pela delegacia de Eunápolis. Imagens de câmeras do ônibus atingindo na batida serão periciadas e a polícia irá comparar o registro com a versão apresentada pelo suspeito. Ainda não há detalhes sobre o conteúdo do depoimento dele nesta sexta-feira.

Ao todo, 12 pessoas receberam alta médica na quinta e seis continuam internadas no Hospital Regional de Eunápolis.

Cinco pacientes foram transferidos para o Hospital Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro, entre eles um garoto de 4 anos, que teve traumatismo craniano e está intubado. A criança precisa ser transferida para uma UTI pediátrica.

Na noite de quinta, apenas os corpos do médico Carlos Alberto Matheus Alves, de 63 anos, e Fátima Maria Gomes Lima, de 65 anos ainda não tinham sido retirados do Instituto Médico Legal.

O corpo de Carlos Alberto foi liberado na manhã desta sexta e para preparação do translado. O médico será enterrado na cidade de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, no sábado (2).

Já Fátima Maria, moradora de Pernambuco, foi reconhecida através dos documentos, que estavam no bolso da roupa. A família dela ainda não chegou na Bahia para fazer a liberação do corpo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.