dentro

Coronel da PM que estuprou rapaz em motel, alega "surto psicótico" e pede para ser internado

De acordo com o relatório médico, o policial se queixou de uma lesão no nariz, decorrente da confusão no motel. Em seguida, ele foi encaminhado à unidade de saúde, onde permanece sob escolta policial.

O pedido de internação do coronel diz que ele é “dependente de múltiplas drogas” e que o episódio da briga no motel evoluiu para um “surto psicótico”. O documento descreve ainda que o militar alegou “ouvir vozes, se sentir ansioso, sentir medo e ideação suicida”, além de ter depressão e esquizofrenia.

Entenda o caso

Por volta das 6h, uma funcionária do motel ouviu tiros e ligou para a polícia. Os militares que participaram da ocorrência informaram que, quando chegaram ao local, encontraram o jovem armado e pediram para que ele entregasse o item, que já estava descarregado.

De acordo com a ocorrência registrada no centro de operações da Polícia Militar, o jovem e o coronel consumiram drogas e se desentenderam depois de terem relações sexuais. Por outro lado, a Polícia Civil autuou o policial por estupro.

Os militares disseram ainda que ninguém se machucou com os tiros e que o jovem foi algemado e levado para a 12ª Delegacia de Polícia, de Taguatinga Centro. Ele foi autuado por disparo de arma de fogo e dano qualificado.

No entanto, a mãe do jovem, que pediu para não ser identificada, disse que os tiros foram uma reação em legítima defesa. De acordo com a mulher, o filho foi coagido e ameaçado.

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.