Com 2 chegadas seguidas na finalda Libertadores, Palmeiras já ganhou mais de R$ 200 Milhões

inbound6783539165115125612

Finalista da Copa Libertadores pela segunda edição consecutiva, o Palmeiras já garantiu mais de R$ 200 milhões entre cotas e premiações por essas duas campanhas.

PUBLICIDADE

Adversário do Flamengo na decisão do próximo dia 27 de novembro, em Montevidéu, no Uruguai, o Verdão vai embolsar pelo menos R$ 72 milhões pela campanha.

Foram R$ 40 milhões entre direitos de transmissão da fase de grupos e prêmios pelas classificações às oitavas, quartas e semifinal, além de no mínimo outros US$ 6 milhões (R$ 32 milhões), valor dado pela Conmebol ao vice-campeão.

Caso conquiste o tricampeonato, a premiação da final não será de US$ 6 milhões, mas sim de US$ 15 milhões (R$ 81,6 milhões). O contrato com a Crefisa também prevê mais R$ 12 milhões em bonificação pela conquista continental.

Na edição passada, em que o Verdão venceu o Santos na decisão do Maracanã, no Rio de Janeiro, a Conmebol pagou ao clube US$ 22,5 milhões (cerca de R$ 122 milhões na cotação em janeiro), além dos R$ 12 milhões da patrocinadora.

Valor já garantido com as finais da Libertadores:

Cota da Conmebol pela campanha de 2020: US$ 22,5 milhões (R$ 122 milhões);

Prêmio da Crefisa pelo título de 2020: R$ 12 milhões;

Cota da Conmebol pela campanha de 2021: US$ 7,5 milhões (R$ 40 milhões)

Prêmio para o finalista: US$ 6 milhões (R$ 32 milhões)*

*se for campeão, o valor será de US$ 15 milhões (R$ 81,6 milhões)

Valor acumulado até a final: R$ 206 milhões

As premiações pelas boas campanhas de 2020 e 2021 tornaram-se um alento diante das dificuldades financeiras por conta do impacto da pandemia de Cøvid-19.

Na temporada passada, em que conquistou também o Paulistão e a Copa do Brasil, disputou o Mundial de Clubes e foi sétimo colocado no Brasileirão, o Palmeiras embolsou R$ 227 milhões em prêmios.

Já nos meses finais de sua gestão, o presidente Maurício Galiotte quer entregar o clube equilibrado financeiramente – a conselheira e patrocinadora Leila Pereira é candidata única na eleição do clube, marcada para novembro.

Depois de terminar 2020 com um déficit de R$ 151 milhões, o Palmeiras registrou um superávit de R$ 60,6 milhões no primeiro semestre de 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.