China faz espionagem com 5G, alerta ex-embaixadora dos EUA

op

A ex-embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Samantha Power, alertou que o Partido Comunista da China (PCCh) usa a rede 5G para “espionagem comercial”. A declaração ocorreu na última segunda-feira (26), durante uma entrevista ao programa Roda Viva.

Atualmente indicada pelo presidente americano Joe Biden para comandar a USAid – maior agência de desenvolvimento do mundo –, Samantha também disse que o governo americano faz esse alerta para não deixar o Brasil “vulnerável aos caprichos do governo chinês”.

A ex-embaixadora declarou ainda que o PCCh usou o coronavírus para expandir sua influência e ganhar projeção global.

“A China foi muito pragmática com os países aos quais forneceu EPIs, e quase sempre pediu algo em troca. [Por exemplo]: ‘Preciso que vocês apoiem nossa atitude com os Uigures no Conselho de Direitos Humanos da ONU’ ou ‘preciso que façam uma canção elogiando a China pelos EPIs que forneceu’”, alertou a ex-embaixadora.

O ministro das Comunicações, Fabio Faria, não se pronunciou sobre as declarações de Samantha Power. O site Poder360 disse ter entrado em contato com Fábio Faria e o chanceler Carlos França. Nenhum dos dois emitiu comentários sobre as declarações de Samantha Power.

“Nós estamos falando de questões econômicas de um modo muito responsável, sem retirar o aspecto humano. Os liberais falam de reformas e de cuidado com a economia como se isso fosse a solução. Mas isso aumenta o caos; isso é problemático, mas não é crucial”, disse o jornalista Allan dos Santos durante o Boletim da Manhã.

E acrescentou: “nós estamos falando de interferência chinesa no Brasil, sejam as escutas telefônicas que denunciamos há 8 meses, seja com espionagem, seja com o olho no Brasil”, finalizou o jornalista, alertando para um problema maior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.