Câmera de segurança flagra homem encostando o pênis em mulher grávida dentro de loja em MG

20210510222542219641i 6649630

Câmeras de segurança de uma loja em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, flagraram um homem circulando dentro do estabelecimento, com o órgão genital fora da calça, e assediando mulheres. As imagens mostram o suspeito encostando o pênis em uma mulher, que está grávida de oito meses. Ela somente percebeu o assédio após assistir ao vídeo numa rede social.

Além de estar grávida, a vítima, identificada apenas como K. L. M. C, de 25 anos, que trabalha como operadora de máquina na cidade, já é mãe de uma menina de seis anos.

Na tarde da última terça-feira, a vítima de importunação sexual vai prestar depoimento à delegada Karine Costa Maia, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Montes Claros, que instaurou o inquérito para apurar o caso.

O suspeito ainda não foi identificado. A importunação sexual aconteceu em uma loja de variedades localizada na Avenida Jardim Palmeiras, a principal do Bairro Jardim Palmeiras. O estabelecimento estava movimentado, o que não inibiu o ato do homem, que estava usando máscara.

Nas imagens, é possível ver que o homem circula perto de algumas mulheres, usando uma peça plástica (porta talheres) para encobrir o órgão sexual, que está por fora da calça. Na sequência, ele se aproxima de uma mulher grávida e encosta atrás dela. Ainda na filmagem, é possível perceber que um outro homem se aproxima do assediador e conversa com ele.

Em seguida, o maníaco deixa o local. Ele teria comprado uma saboneteira na loja, saindo como um cliente comum, como se nada tivesse de anormal tivesse ocorrido.

Em entrevista, a vítima da importunação sexual disse que foi até a loja para comprar alguns brincos e que o marido ficou esperando por ela no carro, próximo à porta do estabelecimento.

Ela conta que na hora notou que “aconteceu algum alvoroço” na loja, mas não percebeu que tinha sido importunada. A operadora de máquina relata que após a compra foi para a casa de sua mãe.

“Foi quando eu e meus parentes, recebemos um vídeo, que estava circulando nas redes sociais, sobre o ocorrido na loja. Foi ai que me dei conta que eu (que aparecia) na filmagem naquela situação muito constrangedora. Fiquei muito chocada”, descreve a vítima.

A mulher relata que ligou para sua advogada, que lhe orientou que registrasse um boletim de ocorrência (BO) junto à Polícia Militar (PM), o que foi feito.

“Me senti muito constrangida. Foi uma coisas muito triste e revoltante. Espero que as medidas cabíveis sejam tomadas”, afirma a vítima. Além da punição do autor da importunação sexual, ela também cobra medidas contra a loja por ter permitido a divulgação das imagens em que aparece em situação constrangedora.

Em entrevista ao portal “G1”, a proprietária da loja alegou que a imagem do rosto da vitima foi divulgada por um descuido. “Fomos errados, mas só queríamos ajudar. A intenção foi divulgar para encontrar o homem, pensamos que eles iriam borrar o rosto da mulher”, disse.

“Quando percebemos que postaram o vídeo mostrando ela, entramos em contato de imediato e pedimos para tirar, e eles repostaram cobrindo o rosto dela. Não temos culpa, só queríamos ajudar para não acontecer em outros locais”, completou a comerciante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.