Cães são treinados para detectar câncer de mama em mulheres

Sem titulo 310

Os cães são conhecidos pela lealdade, fidelidade e amizade com os humanos. Essa sintonia tem se mostrado cada vez mais evidente quando essa relação passa a ser base para temas relacionados a saúde. Estudos mostram que os animais são capazes de pressentir convulsões e até mesmo alterações na glicemia de humanos. No Outubro Rosa, data que visa conscientizar a população sobre a prevenção do câncer de mama, ganha destaque o KDOG Brasil, projeto que tem como objetivo treinar cachorros para que eles consigam detectar, por meio do olfato, se um paciente possui ou não câncer de mama.

O projeto é realizado em parceria com a Sociedade Franco-Brasileira de Oncologia, sediada na cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro, onde os cães são treinados por especialistas. De acordo com Leandro Lopes, responsável técnico pelo KDOG Brasil, o método não necessita do contato entre animal e paciente e os resultados obtidos na França mostraram uma taxa de sucesso na detecção em cerca de 90% dos casos. “Nosso foco é chegar até as populações mais carentes que não têm acesso a equipamentos como o mamógrafo e ajudar a reduzir o tempo médio de espera para diagnóstico da doença. O método funciona como uma triagem, porém o diagnóstico e o estágio da doença continuam sendo feitos através de avaliação clínica”, explica.

O método funciona por meio da chamada biodetecção. Os cães possuem aguçado sistema olfativo, e por meio do faro, conseguem identificar variações no suor dos pacientes, que determinam a presença do câncer de mama.

“Na prática, a mulher assina um termo e recebe um kit com sabonete neutro, duas compressas e um saquinho ziplock. Antes de dormir ela toma banho com o sabonete, se seca, coloca uma compressa em cada mama e coloca o sutiã. Ao acordar lava a mão com o sabonete, pega as compressas, coloca no saquinho e envia para a nossa sede. Lá, os materiais recebidos são depositados na pista de teste e então o cachorro entra no ambiente. Ao identificar um recipiente de alguém com câncer de mama, o cão para em frente a ele como forma de alerta”, revela Leandro.

O KDOG Brasil treina cães das raças braco alemão, pastor holandês, pastor belga malinois e pastor alemão, bastante usados na área de segurança pública e conhecidos pelo bom olfato, graças aos focinhos alongados.

Dia a dia dos cães

Os cães utilizados no método mantêm uma excelente qualidade de vida, graças aos apoiadores das entidades parceiras. A sede conta com canil, baias, sala de detecção e local apropriado para o bem-estar e lazer, mas é na questão da saúde que os cuidados ganham destaque.

“Uma de nossas parceiras é a Vetnil, empresa 100% nacional, que atua em pesquisas e no desenvolvimento de produtos para a saúde e performance de pets. Eles nos dão suporte com medicamentos e suplementos, além de patrocínio financeiro. Somos muito gratos ao apoio que recebemos desde o início do projeto. A Vetnil é uma empresa com visão de negócios, mas acima de tudo está disposta a fazer o bem para a sociedade”, finaliza Leandro.

Para Cristiano Sá, diretor de marketing e novos negócios da Vetnil, projetos como o KDOG Brasil ajudam a salvar vidas. “Os benefícios da utilização de animais em terapias, tratamentos e novas técnicas, já foram comprovados cientificamente e nossa função é apoiar cada vez mais projetos que tragam saúde e bem-estar para a população”.

O projeto KDOG Brasil pretende ampliar sua atuação por meio de parceria com o Sistema Único de Saúde (SUS) e implantação de filiais em todas as regiões do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.