Cachorro Não Sai Da Concessionária, Então Vendedor Verifica O Porta-Malas

d1

Pois bem, olhou para ele com olhos enormes e lacrimejantes e uma barriga rosnando. Ele tentou enxotá-lo, mesmo assim o cachorro encharcado não se mexeu. Havia apenas uma maneira de cuidar desse problema, e ele esperava não se arrepender de ter tomado essa atitude.

Para o gerente da Hyundai, Merson Mariano, ver animais de estimação vagando pela rua não era uma novidade. Na verdade, havia tantos no Brasil que eles tinham até mesmo um nome não oficial – “animais de estimação da comunidade”. Na maior parte, ele ignorou os seus olhos arregalados e gemeu por comida. Para outras pessoas, isso pode tê-lo feito soar com uma pessoa sem coração.

Veja bem, a verdade era muito mais complicada do que ele podia imaginar. Mariano só tinha compaixão por esses animais. No entanto, ele já havia adotado dois, e era tudo o que podia manter. Com mais de 30 milhões a mais lá fora, ele estava no limite de como poderia ajudar. Então, no momento em que um cachorro encharcado e trêmulo se pôs nos degraus da concessionária, ele ficou bastante perplexo.

Se ele o alimentasse, ele ficaria. Uma grande parte dele se preocupava se o cachorro seria agressivo com alguém que tentasse entrar, ou pelo menos pudesse incomodar os possíveis clientes. O plano era simplesmente ignorar o cachorro até que ele entendesse que precisava encontrar ajuda em outro lugar. Ainda assim, então algo estranho aconteceu.

O cachorro simplesmente se recusou a se mover. Ele se plantava nos degraus da frente e ficava sentado ali feliz – apenas saindo em busca de restos de comida. Ainda que depois de enxotá-lo, ele apenas voltava, se jogava no chão e abanava o rabo com pouco entusiasmo. Mariano gemeu de derrota e deixou o garoto peludo entrar na concessionária.

Pelo menos eles poderiam dar a ele alguns dias de recuperação e então mandá-lo embora. Mariano correu para dar uma olhada no porta-malas do carro e ver se havia um cobertor para envolvê-lo. Mesmo assim, o turno da manhã havia começado e os outros funcionários já estavam começando a chegar. Esse foi o primeiro passo de uma série de eventos inacreditáveis. No instante em que um cliente entrou com o seu cachorro, todos prenderam a respiração.

Mariano não pôde deixar de rir no instante em que os dois cães se tornaram amigos de forma rápida. Ele os seguia com os vendedores como se estivesse se treinando – farejando os seus carros favoritos. O homem perguntou a Mariano de qual raça poderia ser o cachorro e ele explicou que era um vira-lata. No entanto, o cliente de repente deu outra olhada no cachorro grande e marrom com uma expressão estranha no rosto. Foi então que ele começou a sacudir a sua cabeça.

Mariano não sabia o que poderia estar acontecendo, ainda assim algo havia se apoderado do homem. Ele começou a tremer até que por fim desabou. Lágrimas rolaram por seu rosto. Mariano ficou chocado e ao mesmo tempo perplexo. Ele perguntou para o cliente se ele estava bem, mesmo assim, o homem continuou se desculpando. Apesar de Mariano trabalhar na concessionária já faziam sete anos, ele nunca teve que lidar com nada parecido antes. O que será que tinha acontecido?

Mariano, sem saber direito o que fazer, pegou um copo d’água para o homem e puxou uma cadeira. Logo depois de alguns minutos, o homem se recompôs o suficiente para explicar a Mariano o seu tão estranho comportamento. O homem havia passado por muita coisa durante as últimas semanas. O cachorro, explicou ele, foi a gota d’água nesa situação. 

Foi então que o homem contou a Mariano uma história bastante incrível. A dor de sua perda o consumia por semanas. Ele estava lidando com os bens de sua mãe da melhor maneira que podia – empacotando todas as coisas dela em caixas e dando para caridade. Tudo o que restou foi o carro dela. Ainda que durante aquela manhã, durante o tempo em que ele dirigia para a concessionária, ele pediu um sinal.

Veja bem, a mãe do homem, Rose, tinha um cachorro que se parecia com o vira-lata da concessionária. No entanto, a estranha sequência de coincidências não terminou por aí. Aquele cachorro era o mundo inteiro de sua mãe no instante em que o seu marido faleceu. E quando ela o resgatou, ela não tinha ideia de que ele a resgataria em troca …

O homem disse para Mariano que o cachorro havia sido encontrado na rua e que os funcionários do abrigo não tinham certeza de sua idade ou de sua origem. A única coisa que eles sabiam era que o cachorro nunca emitia um som. E isso combinava muito bem com a sua mãe idosa. Logo depois que o seu marido faleceu, ela se mudou para um prédio de apartamentos e a última coisa que ela precisava era a reclamação dos seus mais novos vizinhos. Foi então que a história do homem deu uma guinada completamente inesperada.

Certa noite, a sua mãe foi para a cama cedo uma vez que a sua cabeça latejava. Ela verificou o cachorro e adormeceu. Ainda que ela estava felizmente inconsciente de que havia alguma coisa bem errada. Alguma coisa havia mudado. Apenas o cão de resgate sabia que algo estava muito errado. Mesmo assim, apenas no dia seguinte que tudo foi noticiado.

O apartamento de sua mãe pegou fogo e foi totalmente destruído pelo fogo durante aquela noite. Mesmo assim, aquele cachorro que ela resgatou naquele mesmo dia acordou Rose bem a tempo. Se não fosse por aquele cachorro, Rose teria perdido a sua vida. O cachorro viveu feliz com Rose por mais oito anos antes de falecer da velhice. No entanto, a parte mais estranha da história que o homem contava era o nome do cachorro.

A coincidência mais estranha foi que o vira-lata de Mariano estava, neste momento, ao lado de um modelo específico da Hyundai no andar da concessionária … um Tucson Prime. Mais estranho ainda, o homem insistiu que Mariano saísse com ele para olhar dentro de seu porta-malas para que ele soubesse que “não era um louco”. E lá estava ele, em uma das caixas da casa de sua falecida mãe – um colarinho azul e uma etiqueta de metal com o nome “Tucson” gravado nele. Mariano não conseguia acreditar no que via diante dos seus próprios olhos.

Mariano ficou tão comovido com a história do estranho que sabia que precisava fazer alguma coisa sobre isso. Infelizmente, mesmo que parecesse que era para ser, o cliente não podia levar o cachorro vadio uma vez que ele já tinha três. Ainda assim, Mariano sabia, nestge momento, que o destino havia levado aquele cachorro à concessionária por algum motivo maior. De repente, uma lâmpada maravilhosa e perfeita se acendeu dentro da cabeça de Mariano.

A empresa Hyundai sempre disse que eles eram uma empresa que aceita animais de estimação. Por qual razão não colocar as palavras em ação? Foi então que ele correu para o computador, sentindo uma onda de grande entusiasmo. O e-mail era simples – implorando para os seus superiores que deixassem a concessionária adotar o cachorro e torná-lo o seu mascote oficial. Tudo o que ele queria era um “sim”, mesmo assim, ele conseguiu muito mais do que jamais poderia ter sonhado.

Eles não apenas disseram que era uma ótima ideia, mas também queriam que a loja se tornasse o lar eterno dos cachorros. Eles também enviaram um cheque para comprar todos os produtos necessários e fazer com que ele fosse examinado por um veterinário especializado. Além do mais, eles instalariam uma câmera para ficar de olho nele no momento em que não houvesse ninguém. No entanto, ainda faltavam duas coisas fundamentais não podiam mais ser esquecidas nem mesmo esperadas.

Em primeiro lugar, ele precisava de um nome. Pois bem, não demorou muito para que toda a equipe concordasse com “Tucson Prime” – no fim das contas esse nome parecia um sinal. A vertigem do evento fez com que Mariano corresse para o seu computador e imprimisse para  o cachorro Tucson o seu único crachá de funcionário! Será que alguém poderia pensar que a história terminaria aí, ainda assim, fica muito melhor!

Por meio da rede social Instagram das concessionárias, a notícia do cachorro Tucson se espalhou como um verdadeiro incêndio. As pessoas começaram a enviar presentes, rir em seus vídeos de banho e arrulhar no momento em que ele passeava com os clientes ou fazia um test drive com eles. As pessoas realmente começaram a vir até a loja apenas para ver o novo mascote. Logo a seguir,  o cachorro da concessionária recebeu um convite super incrível.

Era algo que nem mesmo o próprio Mariano recebera – um convite para visitar as verdadeiras fábricas da Hyundai. Os chefões e a sua equipe queriam um encontro de boas-vindas. A concessionária deles enlouqueceu! Eles compraram várias gravatas e gravatas-borboleta, uma nova guia e tudo o mais que deixasse a melhor impressão possível.

Mariano sorria de orgulho durante o tempo em que guiava o mascote Tucson pelo chão da fábrica e os trabalhadores corriam e gritavam de alegria para fazer carinho na barriga dele. O seu “Consultor Profissional de Quatro Patas” já havia conquistado o coração dos patrões, mesmo assim a equipe de marketing parecia uma criança animada no momento em que fez outra oferta inacreditável para o Mariano.

Veja bem, eles queriam fazer do mascote Tucson parte de um novo conjunto de comerciais em todos os Estados Unidos da América! O seu garoto desalinhado ficaria muito famoso! Logo depois que eles voltaram para a concessionária, e seu cachorro se acomodou em sua casinha de cachorro personalizada e adormeceu de modo imediato, Mariano balançou a cabeça espantado com tudo o que havia acabado de acontecer.

Apenas era necessário demonstrar um pouco de gentileza. A sua mão em grupo banida com o único propósito de salvar um cachorro de rua, ainda assim, isso acabou trazendo muita alegria para tantas pessoas ao redor de todo o mundo. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.