BUCHO DE CERVEJA: É VERDADE QUE BEBER DEMAIS AUMENTA A BARRIGA?

20101441689073 2

O bucho de cerveja é encarado de duas formas por muitos bebedores: há quem tenha medo de criar barriga por ter hábitos alcoólicos regulares e quem encare a gordura extra como marcas e histórias de “guerra” na mesa de bar.

Esse processo de engordar, que atinge especialmente homens com mais experiência na área, digamos assim, é uma das maiores consequências da vida regada a cerveja, e o maior responsável por isso é exatamente o que diferencia esse líquido de outras bebidas: o álcool.

Apesar de uma long neck (355 ml) ter fatores nutricionais de apenas 150 calorias em média, o consumo em excesso em um curto intervalo, normalmente praticado por pessoas que frequentam bares, restaurantes e encontro com amigos, pode causar sérios danos ao sistema digestivo, congestionando a “fila de espera” dos alimentos que estão “aguardando” para ser quebrados. Isso ocorre porque o corpo para de queimar gordura quando detecta álcool, já que cerca de 20% da substância entra na corrente sanguínea para ser metabolizado pelo fígado.

Dessa forma, o organismo passa a se concentrar em eliminar o álcool e subprodutos, como acetato e etanal, enquanto produz o derivado acetil-CoA, uma forma alternativa de gordura intermediária. Assim, ao mesmo tempo que petiscos, por exemplo, não são processados e alimentos não digeridos anteriormente entram em uma espécie de hiato digestivo, há um ganho potencial de peso com a combinação de gorduras e carboidratos.

(Fonte: Adobe Stock / Reprodução)

Como o corpo é capaz de processar uma quantidade finita de álcool por hora (de 15 a 30 mililitros), quanto mais se bebe em curto tempo, mais o organismo demora para dar entrada aos alimentos pesados, aumentando, consequentemente, o acúmulo de pendências e resultando em mais tempo para liberar acetil-CoA e consumir todas as moléculas de sobrecarga.

Frequência em homens adultos

O que já é uma má notícia para os bebedores de cerveja torna-se ainda pior para homens acima de 30 anos, principalmente por terem menos gordura subcutânea — o que favorece o inchaço abdominal — e metabolismo mais lento, causando a redução no tempo de queima calórica. Hábitos vorazes envolvendo cerveja (e cigarro) podem trazer sérias complicações de saúde, como diabetes tipo 2, doenças cardíacas e pressão alta, assim faz-se necessária uma reeducação na rotina para contornar o acúmulo de gorduras abdominais.

Logo, praticar regularmente atividades físicas, investir em uma dieta balanceada durante a bebedeira (evitar comidas gordurosas) e tomar cerveja com moderação são atitudes imprescindíveis para quem quer viver de bem com o corpo e saudável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.