Brasileiro compra R$ 100 em Bitcoin todos os meses, veja o resultado

img6112f22e33bd0

O brasileiro Huberto Leal criou um projeto de compra de Bitcoin mensalmente com aportes de R$ 100,00. Sua primeira compra foi em outubro de 2019 e de lá para cá já foram 23 aquisições no mercado.

A história acabou sendo complicada no início, visto que ele conheceu o Bitcoin no final de 2017. Naquele momento, ele assistiu a um debate com Fernando Ulrich, onde ouviu falar pela primeira vez da moeda digital da internet.

O preço do Bitcoin no mercado estava na alta histórica e logo despencou. Os primeiros investimentos de Huberto então foram em um momento não muito legal, mas ele insistiu em aprender mais sobre os fundamentos da moeda.

Após estudar muito, em meio ao maior período de quedas do mercado que ficou até conhecido como “inverno cripto”, Huberto identificou uma oportunidade no mercado.

Comprar R$ 100,00 em Bitcoin todo dia 10

Entre trades mal sucedidos no mercado e investimentos em plataformas de rendimentos, Huberto teve um início de tropeços. Mas ao buscar ler sua experiência com o mercado, ele identificou que se tivesse apenas comprado e guardado seus Bitcoins, ele teria um lucro ótimo no mercado.

Assim, ele criou uma planilha para registrar seus aportes, colocando como meta comprar R$ 100,00 todo dia 10 de cada mês. Esse valor simbólico foi escolhido ao acaso, garantiu o investidor em conversa com o Livecoins, mas a data nem tanto.

Como compartilhou com amigos sua planilha, ele imaginou que no dia 10 a maior parte das pessoas já receberam seus salários e podem comprar neste dia. A meta de estabelecer um marco para a compra é importante para sua estratégia garante Huberto, que nem olha para a cotação do dia, simplesmente compra.

“Essa estratégia me relaxou para não me preocupar mais com gráficos e preços do Bitcoin, dando liberdade para fazer outras coisas”

Nesta terça-feira (10), por exemplo, ele fez seu aporte de número 23, contando então com uma valorização de mercado de 281% desde o início. Se aporte total foi de R$ 2.300,00 até hoje, mas devido a alta do Bitcoin, ele já tem R$ 8.798,59. Seu experimento recebeu o nome de “Projeto Hold BTC 100“.

Hoje o projeto de hold do brasileiro é aberto para o mercado, que pode obter uma cópia da planilha no Google Drive e começar a fazer suas compras. No entanto, o entusiasta brasileiro lembra que a compra pode ser feita quando as pessoas quiserem, não necessariamente no dia 10 e nem de R$ 100,00.

Muitos que baixaram a planilha já registraram até mais de uma compra por mês, lembrou Leal.

“Me descobri mais libertário do que imaginava e um maximalista convicto”

Sem a necessidade de dedicar seu tempo para gráficos e operações arriscadas no mercado, Huberto Leal garante que está cada vez mais feliz por conhecer o Bitcoin. Aproveitando parte do seu tempo para conhecer os fundamentos da moeda digital, ele afirma que aprendeu muito e isso o dá confiança para manter seu projeto por mais tempo.

Após conhecer a filosofia do Bitcoin, o brasileiro afirma até que se descobriu mais libertário do que imaginava, além de se ver como um maximalista holder convicto, ao compreender mais desse mercado.

“Me apaixonei pelo Bitcoin, pelos fundamentos todos, me descobri um cara mais libertário do que eu imaginava, me descobri um cara que quer defender as liberdades e a neutralidade da rede do Bitcoin. Me considero um holder maximalista hoje”.

Em parceria com a KriptoBR, ele acabou criando a carteira Kripto Steel, uma cold wallet de metal, produto que afirma ser fruto de seu entusiasmo com o mercado. Além disso, ele está criando uma escola sobre fundamentos de Bitcoin, chamada “Incripta Educação”, em parceria com Cátia Azenha e Matheus Braga, outros entusiastas brasileiros.

Como parte de seus empreendimentos com Bitcoin, ele é sócio da loja NiceBuy, que vende vários produtos e aceita a criptomoeda como pagamento.

Por fim, ele tem uma parte de filantropia com Bitcoin em seu projeto, destinando doações para entidades como a APAE de São Bento do Sul, feita em dezembro de 2020.

Planilha também para sua filha, que já é uma holder de Bitcoin kids

Após ver o sucesso de seu experimento de hold de Bitcoin pessoal, o brasileiro viu a necessidade de criar um investimento também para sua filha.

Assim, ele comprou R$ 500,00, entre janeiro e abril de 2021, colocados em uma carteira segura como poupança. Hoje, mesmo após as recentes quedas do BTC, seu experimento mirim já retorna mais que a poupança brasileira.

Projeto Hold de Bitcoin para sua filha supera poupança brasileira/Reprodução

“Fiz o mesmo processo do projeto, na mesma planilha, para criar uma mesada para minha filha em Bitcoin. Ali eu comparo o rendimento com a poupança e fiz isso para minha filha.”

O objetivo de ambos os projetos são aproveitar a valorização do Bitcoin ao longo prazo, independente da cotação do mercado no momento da compra. Para quem quer acompanhar mais sobre o projeto, o canal “Eu Uso BTC” no YouTube segue o brasileiro holder e entusiasta da moeda digital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.