Bahia: Governador petista amplia o toque de recolher

Após decretar toque de recolher em todo o estado, o governador petista da Bahia, Rui Costa, anunciou ontem (21) que decidiu ampliar o horário do toque de recolher no estado, além disso, incluiu outras regiões na medida.

Segundo o petista, a ampliação ocorre “devido ao aumento da ocupação de leitos UTIs” para o tratamento do novo coronavírus (covid-19), que atingiu a taxa de 80% neste domingo (21). O anúncio foi feito pelo governador Rui Costa, por meio das redes sociais.

O Terça Livre noticiou que no último dia 17 o governador havia decretado o toque de recolher das 22h às 5h a partir do dia 19 ao dia 25.

Agora, no entanto, as restrições de circulação dos cidadãos passam a valer das 20h às 5h e envolvem 381 cidades baianas, até o próximo dia 28 de fevereiro.

A região oeste é a única exceção no decreto nº 20.233 de Rui Costa.

A determinação estabelece que o atendimento presencial em bares, restaurantes, lojas de conveniência e demais estabelecimentos similares que comercializem bebidas alcoólicas será encerrado às 18h.

Apenas o delivery de alimentos fica permitido até as 23h. Já o transporte metropolitano (ônibus, metrô, ferryboats e lanchinhas) poderá funcionar até as 20h30.

Conforme o decreto, no período das 20h às 5h é permitido o deslocamento somente para ida a serviços de saúde ou farmácia, para compra de medicamentos, ou situações em que fique comprovada a urgência.

O documento permite a circulação apenas dos serviços de limpeza pública e manutenção urbana; serviços delivery de farmácia e medicamentos e as atividades profissionais de transporte privado de passageiros.

Segundo o governo, “aqueles que descumprirem a medida podem ser autuados nos artigos 132 – Expor a vida ou a saúde de outrem em perigo -, 268 – Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa – e 330 – Desobedecer à ordem legal de funcionário público – do Código Penal.”

Rui Costa ainda incentiva a população a “contribuir com a fiscalização” denunciando.

No último final de semana o governo ainda comemorou a detenção de 55 pessoas que “descumpriram” o decreto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.