Atentado em Cabul deixa ao menos 13 militares americanos mortos

Design sem nome 20 3 990x557 1

A cidade de Cabul, capital do Afeganistão foi alvo de atentados terroristas nessa quinta-feira (26). No ataque próximo ao aeroporto internacional, ao menos 13 militares americanos foram mortos, além de várias pessoas feridas.

Dentre os alvos estavam dez fuzileiros navais, informou o porta-voz do Corpo de Fuzileiros Navais, major Jim Stenger, em um comunicado na noite de ontem. 

Partido Republicano pressiona por renúncia de Joe Biden

Cerca de 24 membros do Partido Republicano na Câmara e do Senado pediram, nessa quinta-feira, a renúncia do presidente Joe Biden em virtude do ataque terrorista em Cabul. As tensões entre ele e a oposição no Congresso  Nacional pioraram em meio à retirada dos Estados Unidos de tropas da do Afeganistão.

Até mesmo membros do partido Republicano que votaram pelo impeachment de Donald Trump estão a favor da saída de seu sucessor.

Em resposta, a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse que esse não era “um dia para política”.

“Este é um dia em que os militares americanos, 12 deles, perderam a vida nas mãos de terroristas. Não é um dia para política, e esperamos que qualquer americano, eleito ou não, esteja conosco em nosso compromisso de ir atrás, lutar e matar esses terroristas onde quer que vivam. E para honrar a memória dos membros do serviço. E é para isso que serve este dia”, concluiu.

O jornalista Allan dos Santos afirmou no Boletim da Noite dessa quinta-feira (26) que o presidente dos EUA, Joe Biden, tem culpa direta na morte dos americanos em solo afegão.

“É muito grave e muito triste essa situação, porque temos sangue de americanos em solo afegão. Coisa que não é novidade, já estava  acontecendo há um bom tempo, mas agora é por culpa direta do presidente dos EUA”, ressaltou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.