Após matar mulher, homem dá banho em esposa com cloro e desinfetante e a leva para hospital.

Um homem foi preso em flagrante na madrugada de domingo (04), acusado de ter matado sua esposa Roseni Moreira Fernandes, de 51 anos, em Itupeva, interior de São Paulo.

Ao que apurado pelo Jornal Correio do Interior, o homem é um jardineiro de 42 anos, teve um desentendimento com a esposa, o que teria motivo o assassinato. Logo após ocorrido e ao ver que havia matado a esposa, ele decidiu dar banho na esposa já morta, usado, produtos de limpeza, a princípio cloro e desinfetante e o levou para hospital.

No hospital ele informou para equipe médica que sua esposa havia caído no banheiro e que teria batido a cabeça no box da área de banho.

Ainda para equipe medica ele disse que deu banho na esposa com objetivo de acordá-la e logo após a levou para quarto e acordou um dos filhos da esposa, um menino de 8 anos e pediu para que ele acionasse o SAMU.

Logo o segundo filho da vítima, um jovem de 20 anos, chegou na casa por volta das 2h30 da madrugada e tentou socorrer sua mãe ainda descordada, mas foi impedido pelo seu pai, que não deixou que ele levasse Roseni ao hospital. Neste período todo, Roseni já estava morta.

O filho mais velho então acionou o SAMU e a Polícia Militar que chegou juntamente com a Polícia Civil. Brevemente o jovem contou aos policiais que a casa toda estava com cheiro de produtos de limpeza.

O marido de Roseni alegou inocência, porém ao ser questionado pelo delegado da cidade de Itupeva, Felipe Bruno Carbonari, sobre o uso de produtos de limpeza como claro, que em tese teria usado para limpar a residência, e de ter dado banho na vítima, ele disse que preferia ficar em silêncio.

Na cama do casal também foram encontradas marcas de sangue. Ao ser ouvido, inicialmente pelos policiais, o homem também apresentou suspeita ao relatar que a suposta queda da mulher aconteceu às 23h30 da noite de sábado, 3, e que ele teria acordado o filho para pedir socorro às 2h30.

Na delegacia, diante dos depoimentos colhidos, o delegado decretou prisão em flagrante pelo crime de feminicídio. Em suma, a Polícia Civil investiga o caso.

Fonte – Metrópoles