dentro

Após casamento, MP diz que João de Deus tem condições físicas de voltar ao presídio

O Ministério Público de Goiás (MPGO) entende que o recente casamento do médium João Teixeira de Faria, de 79 anos, o João de Deus, é um indício de que ele tem condições físicas e mentais de cumprir a pena superior a 100 anos de cadeia no presídio. Ele foi condenado por crimes sexuais e, atualmente, cumpre prisão domiciliar.

O promotor responsável pelo caso, Luciano Miranda, afirmou que o entendimento do órgão sempre foi de que João de Deus tem condições de cumprir a pena no cárcere. Apesar do casamento não representar um ato ilícito, o órgão analisará o caso. “Toda e qualquer medida será analisada de forma técnica dentro do processo”, afirmou ele, sobre a possibilidade do médium voltar para a cadeia.

Entendimento

Segundo Miranda, o MP-GO acredita que o médium possa cumprir a pena preso, “não só pelo que a gente analisava no contexto processual, mas também pela informações fornecidas pela própria junta médica do Tribunal de Justiça de Goiás”.Ainda de acordo com ele, a viabilidade de adoção de qualquer medida será analisada tecnicamente.

Casamento

João de Deus está se casando novamente. O pedido da conversão de união estável em casamento com uma advogada foi feito no último mês de abril e tinha previsão de ser concluído nesta quarta-feira (4/5), em Anápolis, a 55 km da capital goiana, onde ele mora e cumpre prisão domiciliar desde 2020.

Segundo informações do jornal O Popular, a esposa é a advogada Lara Cristina Capatto, de 50 anos. O casal, que já tinha união estável firmada em setembro de 2021, optou pelo regime de separação de bens.

Vida pessoal

Por meio de nota, o advogado de João de Deus, Anderson Gualberto, afirmou que não comenta sobre seus clientes. “A vida particular do meu cliente deve ser preservada e não temos autorização para comentar. De qualquer sorte, casar não é crime, nem atenta contra as regras da prisão domiciliar que foram impostas”, assinalou o defensor do médium.João de Deus já foi casado e é pai de nove filhos.

Condenações

Até o momento, o ex-líder religioso foi condenado cinco vezes por crimes sexuais, além de responder por posse irregular de arma de fogo de uso restrito e de uso permitido. Somadas, as penas ultrapassam os 110 anos de prisão. Em 2020, no início da pandemia, ele passou a cumprir prisão domiciliar.

A mais recente condenação de João de Deus foi proferida em 31 de janeiro deste ano. A Justiça determinou que ele cumprisse quatro anos de reclusão por crime de violação sᕮxual mediante fraude. O fato do crime ocorreu, conforme a denúncia, em agosto de 2018.

A sentença determinou, ainda, que o líder religioso pague indenização de R$ 20 mil à vítima por danos morais. Ele obteve o direito de recorrer em liberdade, mas já estava em prisão domiciliar por outro processo em tramitação no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO).

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.