Após ameaça com faca e choro na bancada, Renata Vasconcellos confirma estar exausta do JN

3 58

A âncora desabafou sobre a rotina pesada na Globo.

Renata Vasconcellos se tornou destaque e caiu nas graças do público assim que assumiu o comando do Jornal Nacional ao lado de William Bonner. No entanto, seu trabalho na Globo nem sempre foram flores e a âncora já chegou a desabafar por momentos difíceis que passou na emissora.

Em recente entrevista à revista Cláudia, a jornalista falou sobre estar exausta do Jornal Nacional, em meio à tantas notícias ruins. Com o constante recordes de mortes e a tragédia que o país vive, a âncora tem trabalhado dobrado e assim como todo o país, ela não vê a hora de chegar o fim da pandemia.

Segundo a própria, ela não vê problema em “quebrar protocolo” e demonstrar suas emoções chorando na bancada quando se depara com uma notícia ruim. Renata Vasconcellos tenta até se segurar, mas a verdade é que para os telespectadores, é bom ver alguém com empatia.

“Eu tenho muita empatia pelo próximo e vejo o sentimento das famílias desfeitas, o sofrimento. Com a crise, não tem só a doença, mas a fome. Eu tento me segurar para que a informação seja passada, mas a emoção é inerente ao ser humano. E é bom sentir, se solidarizar, não só nos momentos agudos de tristeza, mas nas histórias de alegria que mostramos ao ver alguém passando por uma coisa boa, ficamos com esperança e aí a emoção transborda”, contou.

Sobre a árdua rotina no Jornal Nacional, a âncora não deixou de revelar que está exausta e contou que assim como todo mundo, também tem suas inseguranças.

“Eu estou aqui, de pé. O Bonner me perguntou uma vez: ‘Você está cansada?’. Eu respondi: ‘Sim, mas atenta e vigilante’.Tem muitas emoções juntas e eu reconheço todas elas. Ansiedade, insegurança, medo, desconsolo. Às vezes, acho que não vou conseguir, mas aí me concentro no momento. O que eu preciso fazer agora para dar conta disso. Um dia de cada vez”, confirmou ela.

AMEAÇA DE FACA

A pandemia não foi o único momento em que a âncora passou por maus bocados na Globo. Pra quem não lembra, ano passado, ela viveu um terror na redação da emissora. Um homem invadiu o Projac e manteve a repórter Marina Araújo como refém.

O criminoso tinha como objetivo pegar Renata Vasconcellos e ameaçá-la com faca. Corajosa, a âncora ajudou a repórter ser resgatada. e se uniu aos policiais para falar com o sequestrador. Felizmente, tudo ocorreu bem e nada de grave aconteceu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.