Anvisa alerta sobre risco de inflamação cardíaca com vacina da Pfizer

vacina da 790x444 11062021164323

Casos ocorreram nos EUA após vacinação com imunizantes contra Covid-19 com RNA mensageiro (RNAm); agência mantém a recomendação de continuidade da imunização com a vacina da Pfizer, já que os benefícios superam os riscos

Da reportagem | ACidadeON/São Carlos10/7/2021 11:03

Vacina da Pfizer. (Foto: Carlos Bassan/Divulgação Prefeitura de Campinas)

Na sexta-feira (9) a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu um alerta para risco de inflamação cardíaca após a aplicação de imunizantes contra a Covid-19 que utilizam tecnologia de RNA mensageiro, como a vacina da Pfizer.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os relatos de duas doenças raras, a miocardite e a pericardite, ambas no coração, ocorreram dias após a aplicação das vacinas, principalmente entre homens mais jovens e depois da segunda dose.

“Casos muito raros de miocardite e pericardite foram observados após a vacinação com os imunizantes de mRNA (RNA mensageiro) contra a COVID-19”, informou documento da OMS, que esclarece: “os benefícios das vacinas de mRNA contra a COVID-19 superam os riscos na redução de hospitalizações e de mortes devido às infecções”.

Nesta categoria se aplicam as vacinas da Pfizer e Moderno. Porém, das duas, apenas a Pfizer está registrada pela Anvisa para uso no Brasil, por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde.

A agência ressaltou, ainda, que mantém a recomendação de continuidade da vacinação com a vacina da Pfizer, dentro das indicações descritas em bula, uma vez que, até o momento, os benefícios superam os riscos, e disse que, até o momento, não há qualquer relato de casos dessas complicações pós-vacinação no país. 

“A agência esclarece que o risco de ocorrência desses eventos adversos é baixo, mas recomenda aos profissionais de saúde que fiquem atentos e perguntem às pessoas que apresentarem sintomas se elas foram vacinadas, especialmente com a vacina da Pfizer”, disse a agência, em comunicado.

Entenda
De acordo com a Anvisa, uma análise da agência reguladora norte-americana (Food and Drug Administration FDA) sugere que há riscos aumentados para a ocorrência de miocardite e pericardite, particularmente após a aplicação da segunda dose das vacinas em adolescentes e adultos jovens. Os sintomas dor no peito, falta de ar, palpitações ou alterações de batimentos cardíacos surgem alguns dias após a vacinação. 

Para a Anvisa, a situação indica necessidade de uma maior sensibilização por parte dos serviços e profissionais de saúde para o adequado diagnóstico, tratamento e notificação de casos.

De acordo com a Anvisa, o risco de ocorrência desses eventos adversos é baixo, mas os profissionais de saúde devem ficar atentos e devem também perguntar às pessoas que apresentarem sintomas como dor no peito, falta de ar e palpitações, se elas foram vacinadas especialmente com a vacina da Pfizer.

A notificação de casos suspeitos de eventos adversos relacionados a miocardite ou pericardite poderá ser registrada por meio do sistema VigiMed, Notivisa e e-SUS Notifica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.