Alexandre Correa corre risco de prisão após tocaia na porta de Ana Hickmann.

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo analisa se Alexandre Correa, ex-marido de Ana Hickmann, violou a medida protetiva da Lei Maria da Penha, que o impede de se aproximar da apresentadora. Ela denunciou o empresário ao flagrá-lo na portaria de seu condomínio em Itu, no interior de São Paulo, após ele devolver o filho de uma visita. Correa nega que tenha feito tocaia e acusa a ex de armação.

O Notícias da TV apurou que os advogados de Ana Hickmann denunciaram a suposta violação da medida protetiva no processo de violência doméstica movido pela apresentadora desde o ano passado. Na ação, que tramita no TJ-SP, Correa é réu, investigado por suposta agressão durante a briga ocorrida em novembro.

Correa tem o direito de visitar o filho a cada 15 dias, com esquema de revezamento com a apresentadora em caso de feriado. Por conta da medida protetiva da Lei Maria da Penha, o empresário deve permanecer a 500 metros de distância dela. O pai de Correa é quem atua como intermediário para buscar e devolver o menino.

A situação que gerou a queixa na Justiça aconteceu na terça-feira (13). Correa levou seu pai e seu filho até o condomínio de Ana Hickmann, mas permaneceu no carro, estacionado do lado de fora. Segundo Ana, ela teria sido surpreendida ao passar dentro de outro carro e perceber que o ex estava de tocaia na portaria mesmo depois de ter deixado o herdeiro.

A apresentadora do Hoje em Dia acusou o ex-marido de permanecer durante mais de 45 minutos na frente de sua casa. Ela descreveu que Correa estava “de braços cruzados” e com “olhar intimidador” quando a viu.

A Lei Maria da Penha dita que quem viola a medida protetiva imposta judicialmente comete o crime previsto no artigo 24 da legislação. O ofensor está sujeito a pena de três meses e dois anos de detenção.

À reportagem, o advogado de Alexandre Correa negou a versão dada pela apresentadora. Enio Murad afirmou que seu cliente foi vítima de uma armação de Ana e de seu suposto namorado, Edu Guedes, que também estava no local. De acordo com o defensor, a dupla sabia que o empresário estava do lado de fora do condomínio quando passou de carro.