Agora, os vândalos incendiaram a estátua de Pedro Alvares Cabral

estatua pedro alvares cabral

Já foi Borba Gato, agora é Cabral. Quem será o próximo?

Após incendiarem a estátua de Borba Gato, bandeirante paulista, na capital de São Paulo, vândalos esquerdistas, vestidos de preto e mascarados (como sempre, pois são covardes) incendiaram, na capital do Rio de Janeiro, parte da estátua do navegador português responsável pelo ”descobrimento” do Brasil.

Políticos de esquerda, como a deputada federal psolista Sâmia Bomfim, comemoraram o atentado: ”Nessa madrugada, a estátua de Pedro Álvares Cabral, no Rio de Janeiro, foi incendiada por um coletivo indígena, contra o Marco Temporal, que considera terras indígenas apenas as ocupadas até 1988, e que será votado hoje pelo STF. Não ao Marco Temporal!”, disse Sâmia.

”Coletivo indígena”? Bom, realmente devem existir alguns no Rio de Janeiro. Mas nós sabemos que militantes comuns da esquerda adoram fantasiar-se de indígena, e fingir fazer parte de alguma tribo. E o que é esse tal ”Marco Temporal”? É uma medida, que tramita em Brasília, que prevê que os indígenas só poderão reivindicar terras onde já estavam no dia 5 de outubro de 1988.

Detalhe: os indígenas representam apenas 1% da população brasileira, mas detém quase 14% do nosso território em reservas indígenas. Porém, eles (mas principalmente a esquerda) querem mais do que isso. Coitado do Alvares Cabral de ter que pagar por esse pato…

Algo errado com esse post?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.