Sete bairros de Fortaleza e, ao menos, oito cidades da Região Metropolitana estão, neste momento, apresentando alto risco de violência armada devido a disputa de grupos armados por território.

A “guerra” das facções criminosas tem deixado nestas 15 comunidades a população na linha de fogo de bandidos que portam armas de grosso calibre, como fuzis e submetralhadoras. Com a redução do policiamento nas ruas por conta da pandemia do novo Covid-19, as facções estão aproveitando o momento de relaxamento da Segurança Pública para expandir suas invasões em bairros e favelas e ataques aos rivais na Grande Fortaleza.

O resultado desta ofensiva das facções  nas últimas seis semanas tem produzido uma intensa elevação nos índices de assassinatos na Capital e nos Municípios de Caucaia, Maracanaú, Maranguape, Aquiraz, Cascavel, Pacajus, Horizonte e Eusébio. Prova disso é que, em  apenas 20 dias de maio, nada menos, que 163 pessoas foram mortas na Grande Fortaleza, sendo 93 na Capital e outras 70 na zona metropolitana.

Em Fortaleza, os bairros com maior nível de periculosidade com ataques constantes das facções são: Barra do Ceará, Bom Jardim, Vicente Pinzón, José Walter, Vila Velha, Padre Andrade e Álvaro Weyne, onde nas últimas semanas foram registrados ataques a moradores (com expulsão de famílias de suas residências) e confrontos armados nas ruas.