Em Totalmente Demais, Leila (Carla Salle) vai descobrir que Fabinho (Daniel Blanco) cometeu um crime para prejudicar Jonatas (Felipe Simas) por ciúme.
Jamaica (Gabriel Reif) desvendará a armação após o office boy ser preso por roubo. A estagiária verificará as imagens da câmera de segurança da Bastille e provará a inocência do ex-ambulante.
O filho de Germano (Humberto Martins) vai tentar afastar o mocinho com outra incriminação antes disso, mas seu melhor amigo o verá colocando um relógio valioso na mochila do rapaz. Jamaica tirará a joia de lá e livrará a cara de Jonatas, que nem desconfiará de nada.
Possuído pela inveja, o personagem de Daniel Blanco não desistirá e fará o rival ser preso em flagrante como se tivesse roubado um envelope com dinheiro da empresa. Jamaica contará tudo o que sabe a Leila que se desespera com a situação de Jonatas.

“Foi o Fabinho! O Fabinho armou pra cima do Jonatas! Ele pegou o dinheiro e plantou no armário pra incriminar o Jonatas! O Fabinho morre de ciúmes do Jonatas há um tempão”, dirá o cabeludo.
“Ele pode ser ciumento, mas não é um criminoso. Porque se isso for verdade, é um crime”, falará a jovem.
A estudante de Jornalismo pedirá imagens das câmeras de segurança da Bastille alegando que é para o documentário da empresa. Ao verificar as gravações, ela verá Fabinho mexendo escondido no armário de Jonatas.
A jovem mostrará o material a Zé Pedro, personagem de Helio de La Peña. “Eu tenho certeza que isso aqui vai tirar o Jonatas da prisão”, dirá a garota.
“Que absurdo! Como o Jonatas foi preso em flagrante, eu nem me dei ao trabalho de verificar as câmeras de segurança. Eu nunca ia imaginar que tinha sido o Fabinho. Ele não precisa desse dinheiro. Por que ele fez isso?”, indagará o advogado.
Jamaica explicará que foi por ciúme. “Isso é doentio. O Fabinho tá precisando de um psiquiatra”, esbravejará a estagiária.
Zé Pedro avisará Germano, que mandará o defensor da empresa entregar as imagens à polícia e soltar Jonatas. O advogado o alertará que seu filho terá problemas graves depois disso.
O presidente da Bastille não passará a mão na cabeça do herdeiro e dirá que ele terá de responder pelo crime que cometeu.