Bolsa Família: governo vai injetar mais dinheiro no programa devido ao coronavírus

O Bolsa Família ganhará um reforço financeiro para amenizar os problemas econômicos e de saúde com a chegada do coronavírus ao Brasil. O anúncio do ministro da economia, Paulo Guedes, feito nesta segunda-feira (16) prevê a antecipação do abono salarial e da segunda parcela do 13ª salário para os aposentados e pensionistas do INSS e ampliação dos benefícios do Bolsa Família.

As medidas, segundo ele, são para “proteger a população do choque externo” causada pela pandemia do coronavírus. Ainda segundo ministro, foi uma medida para atender ao pedido do presidente Jair Bolsonaro para ajudar a saúde e a manutenção do emprego.

Bolsa família terá mais beneficiários

No total serão investidos adicionalmente R$ 150 bilhões na economia nos próximos três meses, beneficiando os mais vulneráveis social e economicamente, como população carente, e idosos

No caso do Bolsa Família, a ideia é ampliar em mais de 1 milhão de pessoas. O investimento total com a antecipação da segunda parcela do 13º salário e a inclusão de novas pessoas no programa social numa primeira fase pode chegar a R$ 3,1 bilhões.

Os beneficiários devem manter seus cadastros em dia e atender a todas as exigências governamentais para ficar em atividade.

Também é necessário apresentar documentos e cartão social para receber os valores.

Bolsa Família e notícias falsas

Circulam pela internet várias notícias falsas a respeito de novos benefícios ou aumentos para os integrantes do programa social. Uma delas, já desmentida, é que o Governo teria autorizado um saque adicional de R$ 470 para beneficiários devido aos problemas com o coronavírus e assim poderem comprar produtos de limpeza e máscaras de proteção.

Na verdade, o governo não autorizou nada a respeito dessa pretensa medida.