Ao defender veto de Bolsonaro, Major Olímpio diz que Congresso negocia “o preço da prostituição”

No início da sessão do Congresso que discute vetos do presidente Jair Bolsonaro, Major Olímpio afirmou que a pressão por um acordo sobre o controle de R$ 30 bilhões do Orçamento representa o preço da prostituição.

O líder do PSL no Senado chamou o entendimento de macabro e disse que o Muda Senado não vai participar.

“O preço da prostituição fica claro para o povo brasileiro. O que está acontecendo na discussão em relação a quem vai conduzir verdadeiramente o uso de recursos públicos e do orçamento.

Enquanto não mudar do presidencialismo para o parlamentarismo, que pode se partir para a discussão, mas 57 milhões de pessoas disseram quem dirige o Executivo é Jair Bolsonaro”, afirmou.

“O restante em relação a isso são manobras de quem não tem voto. Colocar R$ 30 bi ou acordo macabro, R$ 15 bi, negociando o preço da prostituição, se vai ficar R$ 10 bi na Câmara e  R$ 5 bi no Senado, nós não participamos”, completou.