Pastor é preso após engravidar 20 fiéis sob o argumento de que era “a vontade de Deus”

Um homem que se apresentava como pastor foi preso após convencer um grupo de mulheres da igreja que dirigia a fazer sexo com ele e engravidar 20 delas.

Timothy Ngwu, 53 anos, argumentava com as mulheres que era “da vontade de Deus” que elas transassem com ele. Depois que o caso, registrado na Nigéria, chegou às autoridades, o pastor foi preso por abuso sexual.

Dentre as vítimas estavam as filhas de algumas das fiéis com quem ele já havia mantido relações sexuais.

Segundo informações do Yahoo!, o porta-voz da Polícia Estadual de Enugu, Ebere Amaraizu, disse que o pastor Ngwu dizia estar obedecendo uma “ordem espiritual para realizar a vontade de Deus”, independentemente de as mulheres serem casadas ou não.

Até agora, foram descobertas 13 crianças, de cinco mulheres diferentes, que têm Ngwu como pai: “Quando a mãe tinha o bebê, ela ficava com a responsabilidade pela criação”, revelou o representante da Polícia.

Ngwu só foi pego depois que sua esposa, Veronica, resolveu denunciá-lo. Para ela, o limite foi ultrapassado quando seu marido engravidou a própria sobrinha, usando o mesmo argumento que havia convencido as outras mulheres.

As fiéis Calista Omeje e Assumpta Odo são duas das mulheres que se viram obrigadas a abandonar os maridos e a família para viver com Ngwu após engravidarem dele. Assumpta Odo, mãe de oito filhos, disse à imprensa que sua filha também foi engravidada pelo pastor.

As autoridades admitiram que “não poderiam se envolver” nas questões familiares das mulheres abusadas por Ngwu, mas anunciaram que a seita que o suposto pastor dirigia será fechada, e ele será processado e julgado.