Após o presidente da República chamar o Greenpeace de “lixo”, a entidade afirmou que a postura de Jair Bolsonaro não é condizente com o cargo que ocupa.

Em nota, a organização internacional afirmou que “o incômodo de quem destrói o meio ambiente soa como elogio”. E que continuará atuando em defesa do meio ambiente e dos direitos dos povos indígenas “irrite a quem irritar”.

“O Greenpeace Brasil lamenta que um presidente da República apresente postura tão incondizente com o cargo que ocupa”, diz o início do texto.

O Greenpeace alega que tem “criticado e combatido as políticas do governo que levaram ao aumento do desmatamento e ao desmantelamento dos órgãos de fiscalização”, além de se posicionar contra “os absurdos ataques aos direitos dos povos indígenas”.

“Ao longo da história, nossa postura crítica a quem promove a destruição ambiental já causou muitas reações desequilibradas dos mais diferentes personagens.

Estamos apenas diante de mais uma delas. Nestes casos, o incômodo de quem destrói o meio ambiente soa como elogio”, afirma a ONG.

Essa publicação tem como fonte original:Uol

Comentários

0 comments