O Palmeiras, terceiro colocado no Brasileiro e que encerra o ano sem levantar uma taça, viu desabar o número de seus sócios-torcedores. O programa Avanti, que já chegou a ter mais de 120 mil associados, registra hoje pouco mais de 67 mil nomes, e destes, estão adimplentes cerca de 60 mil, segundo o balancete referente ao mês de outubro, aprovado na última sexta-feira pelo Conselho de Orientação Fiscal.
O documento, aprovado por um placar de 9 a 7 conselheiros, mostra que as dívidas do clube chegam a R$ 528 milhões. Em outubro, o déficit foi de R$ 7,8 milhões e, no ano, totaliza R$ 43,6 milhões, cenário agravado por conta das multas rescisórias de Mano Menezes e Alexandre Mattos, que receberá aproximadamente R$ 3 milhões
Por conta disso, conselheiros do clube lamentam o fato de o Palmeiras ter perdido a segunda posição no Brasileiro para o Santos, já que a diferença entre as premiações pagas para o segundo e terceiro colocados é de R$ 1,65 milhão.
“Espero que a gestão do futebol melhore para 2020, sem gastos excessivos e sem deixar a desejar em campo como foi nesse ano”, aponta Roberto Frizzo, ex-vice de futebol do Palmeiras.