Quatro policiais conseguiram interromper as agressões e levar o suspeito ao hospital, que estava com traumas e convulsões.
“A menina está grávida de seis meses”, diz a delegada. “Ele [o pai da menina] continua negando. Pegamos material [genético dela] e vamos fazer o [teste de] DNA. Se recolheu uma escova de dente dele. Parece muito envergonhado. Ele a ama de uma maneira anormal e doentia”, completou.
Conforme informações da delegada ao G1, os abusos foram confirmados por familiares, entre eles, o filho de 10 anos do homem e irmão da garota. A mulher do suspeito, que é surda e trabalha durante o dia, não sabia dos estupros, que acontecia desde os nove anos de idade da menina.
“Ela vai ter atendimento psicológico”, explicou a delegada. O homem foi atendido no hospital e ficará preso preventivamente, ou seja, sem previsão para a soltura. A polícia deve concluir o inquérito em até 30 dias para indiciá-lo.