Caneta Azul – A Resposta
Talokudo
Eu já não aguentava mais o desespero de seu
Manel atrás daquela caneta
Ele tinha uma amarela, mas ele queria era a azul
Talvez ele fosse fazer o ENEM, não sei
Só sei que ele queria muito o diabo daquela caneta
Mas graças a Deus eu pude encontra-la
E fazer com que ele parasse de cantar aquela canção
Eu estava andando, de bicicleta
Estava tão rápido quase atropelei uma velha
Olhei pro chão, e vi algo brilhando
Meti o pé no freio e caí bolando
E quando eu olhei pro chão
Era algo muito bom
Era a caneta de seu Mané que ele estava procurando
E sabe onde é que ela estava?
Estava aqui o tempo todo
Estava em frente ao portão preto
Um cabaré muito famoso
E eu achei, sua caneta
Infelizmente alguém comeu
O seu bocal
E eu achei, sua caneta
Infelizmente alguém comeu
O seu bocal
Esta aqui o seu bocal
Todo mordidinho ó
Alguém botou na boca e mordeu
Mas não fique triste não, é só um bocal
Bocal vão e vens
É só um bocal simples
Ela ainda risca ó
Esta prestando a caneta
Logo logo você arruma
Um bocal novo pra você
Não fique assim não
Não fique triste pelo seu bocal