Após 274 partidas e quatro títulos conquistados, Fernando Prass vai vestir uma camisa diferente da do Palmeiras em 2020. Depois de sete temporadas no clube, o goleiro não teve o contrato renovado, o que causou reclamação de grande parte da torcida.
Nos bastidores, o clube acredita que a opção por Jailson mantém o padrão técnico para a função de reserva imediato de Weverton, mas com uma diferença de idade: Prass tem 41 anos e Jailson tem 38 anos.
O planejamento do clube já previa tal mudança no fim de 2018, quando os dois atletas tiveram vínculos renovados.
Após a conquista do Campeonato Brasileiro, Felipão solicitou a renovação de todos os atletas que estavam com contrato para terminar em dezembro passado, casos de Jailson, Fernando Prass e Edu Dracena.
Contratado em 2013, Prass carregava no currículo o título da Série B e foi importante na reconstrução do Palmeiras nos últimos anos, com direito a gol do título da Copa do Brasil contra o Santos. Mas, de 2015 para cá, passou a conviver com mais concorrência no setor.
Na gestão de Alexandre Mattos, o clube contratou três goleiros: Aranha, Vagner e Weverton.
Até por isso, todas as renovações recentes de Fernando Prass foram marcadas por incertezas, o que desgastou a relação do goleiro com o antigo diretor de futebol.
A decisão sobre o fim do ciclo foi informada ao atleta na última sexta-feira, pelo presidente Maurício Galiotte. No sábado, o clube e o atleta fizeram registros nas redes sociais.
Para 2020, Vinicius Silvestre retorna de empréstimo do CRB para ser o terceiro goleiro do Palmeiras, em setor que será completado por Weverton e Jailson.