Dois pesos e duas medidas? Após apoiar torcida única contra o Fla, Palmeiras lança nota de repúdio à decisão
É bem verdade que o futuro de Flamengo e Santos, adversários deste domingo (08), já está decidido e ambos estão confirmados na Série A do ano que vem. No entanto, se engana quem acredita que a 38ª rodada do Brasileirão não reservou surpresas. O Palmeiras, lutando pela segunda colocação na tabela, encara o Cruzeiro em um jogo de ‘vida ou morte’ para os mineiros. Precisando desesperadamente da vitória e sem depender apenas de si para permanecer na elite do futebol, a Raposa solicitou ao STJD a liminar para que a partida fosse realizada com torcida única – pedido acatado no último sábado (07), considerando que há riscos de confronto entre alguns torcedores alterados, principalmente, pela situação do time. Em nota oficial, os visitantes repudiaram a decisão.
A posição do Palmeiras, no entanto, se mostrou no mínimo contraditória. Vale recordar que no dia 1º de dezembro o Flamengo dominou e fez um verdadeiro baile no Allianz Parque, diante apenas de palmeirenses – já que o pedido do MP-SP e da PM-SP por torcida única foi acatado pelo STJD. Na ocasião, o Alviverde Paulista soltou uma nota oficial em um tom completamente distinto do atual, contra o Cruzeiro, no Mineirão.
Relembre um trecho
“[…] No entanto, a segurança é um bem maior a ser preservado, e a Polícia Militar e o Ministério Público são autoridades competentes para avaliar as condições de segurança de um evento, até porque são agentes ativos no processo.
O Palmeiras não tem elementos técnicos para avaliar ou julgar as medidas de segurança recomendadas pela Polícia Militar ou Ministério Público e irá respeitar as orientações das autoridades competentes e da CBF […]”
A medida foi muito criticada principalmente pelo Flamengo e pela mídia esportiva que considerou a decisão preocupante e retrógrada. A posição do Palmeiras, como mostrado acima, foi condizente com a das autoridades. Nesta rodada contra o Cruzeiro, talvez por não ser conveniente, a equipe paulista repudiou a ordem do mesmo Ministério Público e da Polícia Militar de Minas Gerais.
Em nota, o Palmeiras afirma ‘discordar’ sobre o tema torcida única.
“A Sociedade Esportiva Palmeiras vem, mais uma vez, manifestar sua discordância sobre o tema torcida única. Toda vez que o poder público lança mão dessa medida está contribuindo para a depreciação do produto futebol.
O Palmeiras entende que torcida única é uma medida paliativa e que não deve jamais ser aplicada de maneira casuística, visando vantagem competitiva. Nosso entendimento é de que apenas uma ação que englobe todas as entidades que atuam no mercado do futebol poderá trazer mudanças efetivas sobre esse assunto”.
O posicionamento é, no mínimo, curioso considerando as situações de jogo. O duelo contra o campeão Flamengo pouco representava para os dois lados, analisando que o destino de ambos já estava definido e o Palmeiras lutava, apenas, pela retomada do caminho das vitórias e pela permanência de Mano Menezes – criticado por grande parte da torcida. Assim, flamenguistas foram impedidos de apoiar e comemorar mais uma vitória do time no espaço que lhe é de direito.
Contra o Cruzeiro, no entanto, pode valer o primeiro rebaixamento para a equipe mineira, em pleno Mineirão. Na nota oficial, contra o Rubro-Negro, o Alviverde diz entender o posicionamento das autoridades como uma forma de priorizar a segurança – comunicado desprezado pelo Flamengo. Mas com a situação invertida, não. O que nos leva a crer que a colocação palmeirense é seletiva e casuística, como citado pelo mesmo no ofício do último sábado (07).
Cruzeiro e Palmeiras se enfrentam pela 38ª rodada do Brasileirão, neste domingo (08), às 16h, com torcida única no Mineirão. Para se livrar do temido rebaixamento,