Não há outra opção: na última rodada do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro precisa vencer o Palmeiras, no Mineirão, e contar com uma derrota do Ceará para o Botafogo, no Rio de Janeiro. É a única combinação que salva a Raposa do rebaixamento à Série B. O desafio é enorme, principalmente pelo futebol apresentado pelo Cruzeiro, que vem de quatro empates e quatro derrotas no campeonato. E para tentar alcançá-lo, o técnico Adilson Batista convoca o torcedor.
– Pedimos desculpa ao torcedor, precisamos deles no domingo para fazer o jogo do ano, e que o Botafogo também nos ajude. É a única alternativa que nos resta.
Na opinião do treinador, sem a torcida ao lado será mais difícil cumprir a difícil missão.
– Eu gostaria que eles fossem… Os cruzeirenses que amam o clube, esses 8 milhões de apaixonados, que fossem ao Mineirão e procurassem, dentro da razão, transmitir toda a energia, vibração, carinho pelo clube, e ajudassem neste momento. Sei que ele está um pouquinho chateado, preocupado, com muitas coisas que aconteceram na temporada. Eu tenho carinho pelo clube e sinto isso.
As contas são complicadas. As atuações não empolgam. Mesmo assim, Adilson Batista ainda acredita no ele chamou de “milagre” durante a entrevista coletiva após a derrota para o Grêmio.
– Eu ainda acredito na permanência na Série A, não pela grandeza do Cruzeiro, que é muito grande, uma história linda, maravilhosa, repleta de títulos, de jogadores como Dirceu, Tostão, Nelinho, Joãozinho, Raul. História linda. Agora precisamos ter calma para fazer um grande jogo e vencer o Palmeiras. Mesmo que não faça um grande jogo, precisamos vencer.