A demissão do diretor-executivo Alexandre Mattos, do Palmeiras, no último domingo, reacendeu a possibilidade de que o contrato de Fernando Prass, que se encerra no fim deste ano, possa ser renovado por mais um período.
A decisão de Mattos quanto à não-permanência do goleiro era consumada, muito embora o jogador e outros setores da administração quisessem o “fico”.
Segundo o ESPN.com.br apurou, no entanto, a questão de Mattos com Prass ia além da parte técnica. Diretor e jogador tinham um relacionamento apenas protocolar, em seus melhores momentos.
Em 2018, os desgastes para que o contrato fosse renovado terminaram de azedar a relação entre eles. O novo vínculo só foi celebrado devido à intercessão de outros membros da direção, que viam no jogador um importa elo com a torcida.
Não foi por acaso que, ao contrário de Prass, Jailson saiu da última negociação, em 2018, com uma espécie de pré-contrato de continuidade.
A subida do goleiro Vinicius Silvestre para a equipe principal, anunciada por Mattos há duas semanas, também era um recado direto a Prass.
Prass está no Alviverde desde 2013, quando foi contratado do Vasco. Ele fez parte da conquista dos títulos dos Brasileiros de 2016 e 2018 e da Copa do Brasil de 2015.
O arqueiro foi essencial especialmente na Copa do Brasil, fazendo grandes defesas durante toda a campanha e ainda batendo o último pênalti da decisão contra o Santos.
LISTA
Alexandre Mattos e Mano Menezes, demitidos no último domingo, preparavam uma grande reformulação no Palmeiras para 2020. E a mudança, que seria a maior no clube desde 2015, incluía nomes como o de Gustavo Scarpa e do ídolo Fernando Prass.
Além do ex-Fluminense, também estavam fora dos planos da dupla outros dois meio-campistas: os jovens Raphael Veiga e Hyoran – citados pelo ex-diretor de futebol como apostas para o futuro do clube quando contratados, no final de 2016 (o primeiro está próximo do Grêmio).
No total, a tendência era de que 13 jogadores não permanecessem para a próxima temporada.
As informações são do jornalista da ESPN Brasil Jorge Nicola em seu blog no portal Yahoo!.