Início  Clube
Clube
Financeiro
Futebol
Geral
Atletico Nacional acusa Palmeiras de calote e aciona Fifa; Clube tem outra versão
De
Thiago Gomes-
5 de dezembro de 2019
O jogador Borja, da SE Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol.
O fim de ano do Palmeiras não vem sendo nada bom. Sem resultados importantes dentro de campo, o clube passa por alguns outros problemas fora das quatro linhas. Nesta quinta-feira, por meio de sua conta oficial no Twitter, o Atletico Nacional, da Colômbia, acusou o Alviverde de não ter quitado o valor de US$ 3 milhões por Miguel Borja previsto em contrato.
Borja foi comprado pelo Palmeiras/Crefisa em 2017 pelo valor de R$ 33 milhões. Ficou acordado que, caso o colombiano seguisse no clube paulista até agosto de 2019, mais US$ 3 milhões seriam pagos no negócio. Atualmente Borja é reserva do time palmeirense.
“O tema de Miguel Angel Borja continua igual. Não recebemos o pagamento no tempo estabelecido e já levamos para as instâncias da Fifa,” declarou Juan David Perez, presidente do Atletico.
Palmeiras se posicionou
Procurado pela imprensa, o Palmeiras afirmou que não entendeu a cláusula dessa forma. O contrato não tem prazo real para pagamento e o Atletico Nacional pode mudar a opção e receber 30% do valor da venda de Borja futuramente.
Reforços chegando
Mesmo sem executivo após a demissão de Alexandre Mattos, o Palmeiras busca reforços para a próxima temporada. Pelo menos três nomes são analisados de perto pela atual diretoria. Jorge Sampaoli, técnico do Santos, tem conversas avançadas para treinar o Alviverde e deve ser confirmado após o fim do Campeonato Brasileiro. No final de semana o Santos enfrenta o Flamengo, e Sampaoli admitiu estar focado na partida.