PUBLICIDADE
FOX SportsForam pouco mais de oito anos com a camisa do Palmeiras e nome dividido entre amor e ódio para a torcida. Com muitas polêmicas, títulos e lesões ao longo da passagem, o meia Jorge Valdivia ainda mexe com o imaginário do palmeirense para um possível retorno em ‘fim de carreira’ para o chileno. Em entrevista ao Globoesporte.com, o craque comentou sobre o sonho de vestir a camisa do Palmeiras no futuro próximo, mas fez questão de deixar claro que não está ‘cavando’ vaga no clube e que respeita os atletas que atualmente estão no Verdão.
 
“Você sempre quer trabalhar com os melhores, com o treinador que passe experiência, confiança, que você entenda a mensagem dele. Ele (Sampaoli) é um desses treinadores. Eu citei o Vanderlei porque é um cara muito certo e claro na hora de posicionar os times, buscar o resultado. Mas não depende de mim e da minha vontade. Claro que pelo carinho que eu sinto pelo clube, pelos anos que eu passei no clube, conhecendo a cidade, o Sampaoli, o Palmeiras… Claro que você gostaria de trabalhar em ambientes bons. Já que você me perguntou da possibilidade de trabalhar de novo no Palmeiras, todo mundo gostaria. Não somente eu. Mesmo se não fosse o Sampaoli, é claro que eu gostaria de um dia voltar para o Palmeiras. Um dia não, né? Porque daqui dois anos, um ano e meio, já era para mim (risos)”.
“Tem de respeitar os jogadores que o Palmeiras tem neste momento e não gostaria que essa entrevista parecesse que eu estou me oferecendo para ir. Não gostaria que alguém fizesse isso enquanto eu estou no lugar que parece que está se oferecendo. Tem de respeitar quem está no clube”, completou o meia. Valdivia ainda deixou claro como está fisicamente. A parte atlética do jogador foi a principal ‘dor de cabeça’ para o Palmeiras, principalmente na segunda passagem pelo clube, quando acumulou inúmeras lesões e ficou de fora de partidas importantes.