Há 20 anos o Palmeiras desperdiçou a chance de conquistar o Mundial de Clubes da Fifa diante do Manchester United, no Japão, e terminar o ano com uma conquista ainda mais histórica após faturar a Libertadores pela primeira vez em sua história.
Até hoje o vice-campeonato é motivo de lamentações dos torcedores e dos jogadores palmeirense que acompanharam aquela campanha e a final contra os ingleses. Para muitos, o time alviverde merecia melhor sorte, e entre os que defendem essa ideia está Mark Bosnich, ex-goleiro dos Diabos Vermelhos e responsável por parar o ataque alviverde.
Em entrevista à ESPN, Bosnich falou sobre a conquista do Mundial de Clubes diante do Palmeiras. “Para mim, esse foi um dos melhores dias da minha vida. Mesmo tendo sido há 20 anos, parece que foi ontem. Também foi muito importante para o United, porque os ingleses não diziam para os outros o quanto aquele título era significativo, já que nunca tinham vencido a competição antes. Por isso, ficava aquele fingimento de dizer: ‘Ah, tanto faz se a gente ganhar ou perder’.”
“Mas a verdade é que falavam isso porque nunca tinham conseguido vencer antes. Ser campeão da Copa Intercontinental significava ser o campeão do mundo, então foi um grande momento não só para o Manchester United como para o futebol inglês, pois foi a primeira vez que houve um campeão mundial da Grã-Bretanha’, acrescentou.
Questionado sobre a “justiça no futebol” e se aquela final merecia, ao menos, ter terminado empatada no tempo normal, o ex-goleiro do Manchester United foi além e afirmou que o Palmeiras, na verdade, merecia ter vencido o jogo.
20 years ago today in Tokyo, @ManUtd become the only English team to win a Intercontinental Cup thanks to Roy Keane’s goal against Palmeiras pic.twitter.com/rEWOuc5BMq
— Asif Burhan (@AsifBurhan) November 30, 2019
“Esse ditado (não existe justiça no futebol) é uma boa maneira de resumir aquela partida (risos). Um empate?
Para ser brutalmente honesto, e eu sempre sou honesto com tudo, o Palmeiras mereceu vencer aquele jogo. Mas o que a gente tinha no United era um espírito de luta fantástico, um pensamento de nunca se render.
Eu tive muita sorte naquela noite, nossa defesa jogou muito bem e nós tivemos um chute a gol em 90 minutos, mas conseguimos ganhar”, avaliou Bosnich.
“Antes dessa entrevista, eu fui até conferir as estatísticas para ver se tinha sido isso mesmo e é incrível: nós chutamos uma única bola no gol! O Manchester finalizou oito no total, enquanto o Palmeiras chutou 15! E o Palmeiras também teve muitos escanteios a mais. Os números foram todos a favor do adversário. Mas é como esse ditado brasileiro afirma: muitas vezes, não há justiça no futebol”, completou.