Na última terça-feira (26), a porta da empresa de Mauricio Galiotte amanheceu com bananas adesivadas com fotos do rosto do presidente palmeirense. O protesto, também organizado pela Mancha Alviverde, também teve faixas com frases contra a diretoria.
As reclamações acontecem dias após a entrevista de Alexandre Mattos afirmando que o planejamento de 2020 conta com ele e com a permanência de Mano Menezes.
A relação entre organizada e diretoria não é boa desde o meio do ano. A crise já teve episódios como ameaça de morte a Felipão na porta da Academia de Futebol e ida a porta da casa de Alexandre Mattos, com direito a flores enviadas para a esposa do diretor.
A princípio, Maurício Galiotte afirmou que o projeto será mantido para a próxima temporada com os mesmos nomes que estão no comando no momento.